Blog do escritor Ferréz

Nosso povo quer ler.


Roubou livrosReprodução/Record BA
Um caso curioso aconteceu em uma livraria da capital baiana. Um jovem foi preso acusado de roubar três livros da Livraria Cultura na noite desta quinta-feira (06), em Salvador. O estabelecimento é localizado dentro do Salvador Shopping.
Alex Santana Souza, 19 anos, que mora no bairro de Paripe, Subúrbio de Salvador, confessou que já havia roubado outros dez livros na mesma livraria.
Leia mais notícias no R7 BA
O acusado foi levado para a 1ªDelegacia dos Barris, e depois encaminhado para a Central de Flagrante, no bairro da Mata Escura. Os livros roubados pelo jovem eram de ficção científica. A família do acusado pagou fiança para que ele fosse liberado.

8 comentários:

Guilherme disse...

Nosso povo quer ler, mas não pode. Quado pode, não pode ler o que quiser.
Nada pode, e quando pode, fode!

Guilherme disse...

Nosso povo quer ler, mas não pode. E quando pode, não pode ler o que quer.
Tudo não pode, e quando pode, se fode!

Alécio Faria Jr disse...

Poderia ter procurado uma biblioteca...

Alécio Faria Jr disse...

Poderia ter procurado uma biblioteca

Flavio Sousa disse...

Ficcão científica é a realidade do Nosso Brasil onde os Super- Heróis são os Vilões do Poder e os bandidos que roubam livros são as verdadeiras vítimas de um sistema desestruturado, feito para a classe média e que prefere construir estádios ao invés de escolas.

Flavio Sousa disse...

Ficcão Científica é o nosso Brasil, onde os Super-Heróis são os Vilões do Poder e os bandidos que roubam livros são as vítimas desse sistema feito para a "classe média" que prefere construir estádios ao invés de escolas.

ALESSANDRO BUENO disse...

O que pode um individuo querer ser livre, querer estar no mundo. Existi uma indiferença com os descamisados, existi uma repudia com os desfavorecidos. Não sabemos para onde caminha esta humanidade, mas a poesia sempre esteve presente em cada momento da história do homem. Alessandro bueno

João Carpalhau disse...

E se o que todos roubassem fossem apenas livros, certamente não haveriam mais ladrões. Saudades suas, meu velho! Ontem foi aniversário do Mutarelli e pra variar, lembrei das suas histórias. Me manda um e-mail pra gente trocar ideia. carpalhau@gmail.com
Abração!