Blog do escritor Ferréz

O coro dos frustrados (ferréz)


O coro dos Frustrados

Na moral uma coisa que é altamente fabricado por aqui é frustrado.
Isso aliado a fofoca vira um prato feito pra intrigas.
A anos faço uma jornada dupla, na loja e também na carreira de escritor, num país que na sua maioria lota estádio pra jogo armado e lota show de tudo que é lixo, desde Berê Berê a Lek Lek, passando por sexagenários que vem para o Brasil depois de estarem a um pé na cova da música.
Ai tem sempre na sua quebrada o mano que se sente traído pela vida, menosprezado pelo bom destino, abandonado pela sorte.
Ele te olha sempre como se você devesse algo, na verdade ele tem certeza que você deve algo pra ele.
Hoje acordei com vontade de mandar um papo reto pra esses tipos, embora não valha nem a pena a ortografia usada.
Irmão, acordar as 2 da tarde prejudica um pouco seu dia, ficar olhando a garagem do vizinho também, ah! e não adianta conspirar se o cara trabalha ele vai ter progresso.
Uns já são tão treinado que ficam esparramados na calçada alheia, e quando o cara passa ele solta essa.
  • Do nada esse maluco apareceu com esse carro.
É do nada porra! Ele trabalha das 7 da manhã até as 7 da noite  a 10 anos e do nada ele tá com esse carro.
Fábrica de coitado, comentários levianos, desvalorização do corre alheio.
O cara mal te cumprimenta, quando tá de moto buzina mas não mexe nem a cabeça pra você, porque você está a pé, e a pé você vale menos.
É música de ostentação, igreja de ostentação, miséria misturada com desinformação.
E agora a novidade, você num precisa ir para ouvir, a conversa fiada vem na sua casa.
E quando esquecem o que você fez por eles? Puta ai é foda! O cara solta o verbo, rasga a lingua, fala alto que você fez o mínimo, que isso ficou no passado, que hoje é outras fita, mas num dá o braço a torcer que você fortificou a caminhada dele, sabe porque? por que a ingratidão é a lei do frustrado, parece até frase pronta mas é real, se ele for grato vai ter que enxergar que é acomodado.
Tô cansado de conversa mole, de diz que diz, de falação de água, tem mano com 14 anos de idade vendendo bala no farol, e tem mano de 19 que num tem disposição, tem todo tipo de situação, os que aceita o que o sistema não deu, e os que corre atras, o progresso taí se agente for na caminhada certa.
Nenhuma história aqui foi de alguém que acertou na mega sena, tudo a mesma caminhada, mantendo família, juntando dinheiro pra compra do final do mês. 
O foda é ver que o cara num olha pra estrada que ele pode trilhar, ele olha pra sua caminhada, pra julgar, conspirar, programar, e ser perito em agouro.
Tá difícil pra todo mundo, sempre teve dificuldade tiozão, nunca foi fácil, te iludiram que seria, mas bangar o sonso a vida toda num dá resultado, num alcança meta. 
Você é culpado se consegue um progresso, ele acha que você deve algo pra ele, que tinha que ter fortalecido o próximo.
O frustrado sempre espera, desenterra desculpas a muito adormecidas, inventa dificuldades e planeja maquiavelicamente algo que não promova esforço.
Mano só de não te pedir nada a vida toda eu já te ajudei, só de não ter te atrasado já te fortaleci, nessa grande máquina de moer gente.
Sei que podia estar fazendo um novo conto, uma nova poesia, podia estar ocupando meu tempo com algo mais produtivo, mas tem hora que as palavras de ódio também tem que ser escrita.
Na moral eu já lido com tanta coisa, num é fácil manter o que a porra da minha cabeça construiu, pode ter certeza.
Meu nome sempre foi associado com leitura, marca de roupa, periferia, por ai.
Lavei muito prato, muito copo, fiz muito lanche, vendi muito pão, varri muito chão e nunca fiquei na aba de ninguém, portanto pare de esperar o salvador chegar e faça você sua revolução.
Na minha quebrada tá cheio de exemplos produtivos também, mas parece que seguir os trabalhadores é vergonhoso.
Tem mano que começou a 9 anos com um mercadinho e ano passado concluiu sua segunda faculdade.
Tem mina que vendendo pastel fez seu curso de enfermagem, e hoje paga seu apartamentinho próprio.
Faça, acontece, reinvente sua vida, não aceite essa miséria que te deram, não contribua para o caos, para a infelicidade alheia, e lembre-se, ninguém te deve nada, faça por você, não atrase o próximo e já está contribuindo, agora se quiser um dia fazer pelo próximo, seja bem vindo, estamos precisando de ajuda para mudar esse país.

6 comentários:

wesley barbosa disse...

Muito louco Ferrez esse seu novo texto. Ai, onde posso encontrar aquele conto O Barco Viking? Tentei encontrá-lo aqui no blog, mas parece que nun tem. Me passa depois.

wesley barbosa disse...

Muito louco Ferrez esse seu novo texto. Ai, onde posso encontrar aquele conto O Barco Viking? Tentei encontrá-lo aqui no blog, mas parece que nun tem. Me passa depois.

wesley barbosa disse...

Muito louco Ferrez esse seu novo texto. Ai, onde posso encontrar aquele conto O Barco Viking? Tentei encontrá-lo aqui no blog, mas parece que nun tem. Me passa depois.

Cristina Manga disse...

Fantástico!
Muito obrigada!
Estive olhando outros textos seus e como educadora que tenta contribuir há muitos anos nessa área, não me sinto mais tão solitária hoje nessa luta.
Valeu!
Um grande abraço!
Cristina Manga

alef dias disse...

eh isso....

gamer147 disse...

Valeu minha professora ter me apresentado vc ferrez. Gostei mt do texto.