Blog do escritor Ferréz

Orgulho de ser brasileiro - Doc

O documentário “Orgulho de Ser Brasileiro” discute o sentimento envolto na mais emblemática frase que se ouve no país – e que dá título ao filme - a partir de depoimentos de vários brasileiros. Numa narrativa de busca pessoal entrevistas com Romero Brito, Fernando Henrique Cardoso, o técnico de futebol Carlos Alberto Parreira, a geneticista Mayana Zatz, o filósofo Roberto Romano, o dramaturgo Gerald Thomas, a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, o escritor Ferréz, os músicos Max de Castro e Simoninha, o jornalista e empresário radicado na Flórida Carlos Borges, a corretora de Imóveis em Miami Yara Gouveia, o colunista de vinhos Didú Russo, o ex-ministro da Saúde Adib Jatene e o arcebispo católico Dom Angélico Bernardino se dividem em depoimentos ao longo do documentário questionando o Brasil e se questionando sobre a cultura dos brasileiros e o momento do país. Ancorado numa narrativa dinâmica com fotografia conceitual que explora vários ângulos dos entrevistados e depoimentos reveladores, o filme é permeado por trechos do hino nacional interpretado por Badi Assad. Num formato provocativo, promete ir muito além do “Ouviram do Ipiranga” ou do sentimento-padrão de que “o brasileiro é o melhor povo do mundo” a que nos acostumamos. Não é ufanista. É pra discutir. Não é contra o Brasil. É a favor. É real. Feito por brasileiros. Sem intermediários. link da página do Doc. www.orgulhodoc.com.br

2 comentários:

MARIA INKE disse...

Salve, primeiramente ainda não assisti o documentário então creio que não poderia emitir uma opinião mais contundente, entretanto ao assistir ao trailer e pesquisar sobre todo o material no site do Doc, pude ter uma visão incomoda a cerca de um detalhe que me chamou atenção: em sua maioria os entrevistados são pessoas que possuem um condição social favorável, sendo assim podemos tomar isso como uma perspectiva mais "clara" sobre um fato tão importante, creio que o Doc se propõe a ser um elemento gerador de possíveis discussões e reflexões, por isso acredito que poderia haver uma "imparcialidade" maior sobre o assunto, lembrando que isso é apenas uma impressão, visto que não assisti o Doc na integra. Eduardo Inke - Grafiteiro.

MARIA INKE disse...

Salve, primeiramente ainda não assisti o documentário então creio que não poderia emitir uma opinião mais contundente, entretanto ao assistir ao trailer e pesquisar sobre todo o material no site do Doc, pude ter uma visão incomoda a cerca de um detalhe que me chamou atenção: em sua maioria os entrevistados são pessoas que possuem um condição social favorável, sendo assim podemos tomar isso como uma perspectiva mais "clara" sobre um fato tão importante, creio que o Doc se propõe a ser um elemento gerador de possíveis discussões e reflexões, por isso acredito que poderia haver uma "imparcialidade" maior sobre o assunto, lembrando que isso é apenas uma impressão, visto que não assisti o Doc na integra. Eduardo Inke - Grafiteiro e Designer pelo Estúdio CUCO.