Blog do escritor Ferréz

Literatura Marginal e Hip-Hop em Minas Gerais

O Evento Palco Hip-Hop foi mesmo impressionante, tendo como mentor o Vitor, um grande articulador da cidade (e um puta cara gente boa demais) teve entre shows, duelos, dj's, debates, um grande encontro da cultura Hip-Hop em Barreiro Minas gerais.
Fui convidado para representar a literatura nesse evento e como não podia ser diferente lotamos os espaços que nos deram, e colaboramos com a realização desse sonho em B.H.


Difícil foi sair da praça depois de ter lido os textos. dá hora também foi os manos falando do Buzo, que tinha passado alguns dias atrás por lá e representou a quebrada do Itaim no mapa.

Depois de recitar fui vender os livros da Selo Povo na praça, é nesses momentos que vale a pena ser dono do próprio trampo, para poder espalhar a palavra.

Não tem prazer maior que poder recitar numa praça, uma grande noite para a litera-rua.

Se liga nos traços do grafite, sendo feito ao vivo no palco onde eu iria fazer uma fala e leitura de textos a noite.

A Palestra foi no Reginal Barreiro , no bairro Barreiro, um antigo shopping que virou espaço para a cultura, vitória nossa sobre o consumismo.

Fazendo o que mais gosto, podendo divulgar meu trabalho, e fazendo os textos chegarem onde tem que chegar, no público das quebradas.

Louco foi encontrar manos de 1DASUL em plena Minas, até no carro a marca da perifa se fez presente.


Um evento inesquecível, BH se organiza e mostra que está firme e forte no cenário literário e marca presença com a cultura Hip-Hop.
Eu li alguns trechos do Cronista de um tempo ruim para o público da palestra.
foi na cidade onde pude obter meu primeiro livro de Campos de Carvalho, um grande autor mineiro, que comecei a devorar hoje, enquanto escrevo esse post, esotu ouvindo o rap sem fronteiras do Renegado, os manos da banda Julgamento e o poeta KDU dos anjos, além de chapar com o som do S.O.S Periferia, no seu mais novo disco Metamorphose.
foi assim cheio de cultura que voltei de Minas, e agora vou pra quermesse da Grisson, pois nesse domingo além do Brown, Dexter e do lançamento do Detentos do Rap, Negredo e RDG, eu vou ler alguns textos do Palavrarmas.
Firmeza
Ferréz

2 comentários:

rodolfo disse...

valeu ferrez representou show de bola nossa foto do carro. rodolfo de bh agradecido

Priscila Bueker disse...

Oii Ferrez,tudo jóia? Pocha,fiquei feliz só de ler esta matéria..Minha monografia prática foi sobre grafitti, sobre a sua definição: ser arte ou expressão das ruase ainda fiz o contraste com a pichação, infelizmente muitos ainda confundem..me baseei numa crew aqui de Vitória/ES!!Ficou muito legal,sem contar que pude me aproximar um pouco da realidade onde moro que é periferia!Sou jornalista,mas é perceptível que a mídia oficial por vezes exclue o movimento sim ou o põe de uma forma pejorativa, falo pelo meu Estado..Por isso, se Deus quiser, vou fazer meu mestrado em comunicação popular-comunitária e pôr minhas idéias para acontecer de verdade!Parabéns pelo blog, em meio a tanto lixo digital me dá uma enorme satisfação em ver um espaço utilizado forma inteligente e democrática!
Ah!Permita-me convidá-lo para visitar meu humilde espaço recém-criado: é o www.parafrasecorriqueira.blogspot.com, ok? É simplezinho, mas as ideias contidas nos textos são muito sinceras!Fique à vontade para entrar,ler,comentar e até seguir, se for do seu interesse!Fica com Deus!
Forte abraço.
Priscila