Blog do escritor Ferréz

Sarau da Fundão foi Show


O Sarau da Vila Fundão foi super lotado no lançamento do grupo Negredo, ficaram mais de 100 pessoas para fora do bar, muito calor humano, poesia e música.
no meio do show recitei o texto que fiz especialmente para esse CD, A Maldição da Refinaria. como muita gente no sarau pediu o texto, segue ele abaixo desse post.

Dj Alê do grupo Negredo autografa o CD novo do grupo de rap da zona sul.

Nosso povo, nossos artistas, autografando o trabalho que foi conquistado com tanta luta.

A maldição da refinaria (Ferréz)

Espero seu toque novamente
seus olhos me vendo como sou
por mais que nos palcos eu cante
nada será como antes
me cobrindo, protegendo do frio
dando o único cobertor da família
me beijando com tanto carinho
fazendo de mim um rei, sendo seu filho
A tristeza dos cortadores de cana
a melancolia do plantio na terra seca
trabalhar tanto, tanto...
por tão pouco é mais que tristeza
a morte por exaustão traz na cachaça a maldição
a ganância do dono da refinaria
via álcool, via destilaria
o vicio é a pior prisão
no bar é vendido perto do barraco a poucos centavos
a água que não traz vida, mas sofrimento embalado
que faz você abaixar a cabeça em desalento
no meio da sua família é pior, muito mais sofrimento
mãe você não olha ninguém nos olhos
minha heroína, dona do lar
nem pro meu pai consegue olhar
a tristeza engarrafada que você compra
enriquece alguns que não se dão conta
da dor que essa droga faz dentro de uma família
não chega a ver o quanto chora um rapper por sua mãe na periferia
Minha genitora não tem mais os traços fortes do norte
se tornou fraca, vazia, uma sem sorte
como ver alguém que amo tanto definhar
como pegar sua alma no colo, tirar de dentro do bar
que peça falta no seu coração
que historia triste traz da infância... não sei não
qual o buraco ai dentro, como preenche-lo?
como posso ajudar alguém que bebe seu pesadelo?
me bate, xinga diz que não me conhece
eu agarro beijo, abraço e finjo que ainda sou um moleque
que tinha tanto orgulho de ser seu filho
logo você uma rainha africana num mundo hostil

apesar de você estar ai na calcada fria
mãe, eu vejo ate hoje em você... minha eterna rainha

4 comentários:

Roberto Almeida (krust) disse...

Texto loko Parabéns!!!

ativista disse...

hip hop vem mostrando seu potencial atraves das linhas escrita da voz da dança arte hip hop para frente http://hiphopactivistface.blogspot.com/ paz

DIEGO SKATENA MENTE disse...

falar consiente no que vai expor!!
a rua e nois a literatuta e o sauvador,o convidado vs invaso o resultado e o vencedor cauteloso em compor...





salve rapaiz

DIEGO SKATENA MENTE disse...

a rua e nois parcero!!!!!!!