Blog do escritor Ferréz

Professores, missionários da cidadania.

Salve, depois que terminei a palestra na M.Boi 1, a professora Patrícia pegou sua faixa de protesto e foi lutar por um salário digno.
Professor merece abraço, não borrachada.
O que já vi de professor guerreiro, tive tantos desses, um exemplo foi a Fátima que pegou um facão e foi cortar o matagal da escola, com tanto marmanjo lá e ela trabalhando quase sozinha, pois eu tava lá tentando cortar algo também, são tantos exemplos da batalha deles, que compram livros, filmes, com seu próprio dinheiro, fazem de tudo para abrilhantar o ensino que muitas vezes não cativa o aluno, então professor num é só uma profissão, é uma missão com certeza.
Agora o número de correspondência que recebo é impressionante, de crianças, rappers, escritores de outros lugares, agora quando chega carta de professor sempre emociona, recebi uma carta do Rio, que me deixou bem feliz, estou trancado a quatro dias escrevendo e com certeza depois dessa carta vou sair para ver a quebrada como anda.
valeu pela força, deu no mínimo mais 10 anos de energia para a batalha.
Olá Ferréz, tudo bem?
Meu nome é Georgia Barbosa, sou professora de História da rede estadual do Rio, em Vilar dos Teles, São João de Meriti (não sei se você já esteve em São João, fica na Baixada Fluminense). Escrevo para narrar uma experiência positiva que tive com meus alunos do Ensino Médio (3o ano) na última sexta (9/4). Estamos estudando doutrinas sociais (socialismo, anarquismo) e resolvi passar pra eles um dos programas LUTAS.doc.
Em seguida, lemos trechos contendo reflexões feitas por diferentes pessoas que participaram do programa. Incluí, nesse segundo momento – debate – as seguintes passagens suas:A gente tem nesse país milhões de renegados hoje: milhões de pessoas que ligam a televisão não se enxergam, ligam a rádio não se ouvem, abrem as revistas na banca de jornal não se vêem. O consumo anestesia as revoluções. Você pode ter um celular igual ao do seu patrão, então você acha que já é patrão. Faz bem pra alma. O capitalismo só respeita o boicote.
Posso dizer que o resultado foi muito além do que eu esperava. Pela 1a vez em três anos, percebi de fato a garotada bastante incomodada e com vontade falar, de estudar!
Perguntando, sem querer ir embora, mesmo quando o sinal já havia tocado! (Difícil de acreditar!) Eles gostaram do material que leram e do programa, mas sem dúvida, as passagens que trouxeram mais inquietação foram as suas falas, por isso quis escrever. Alguns alunos, inclusive, ligados em hip hop, já o conheciam do Manos e Minas.
Era isso o que eu queria dizer. Parabéns pelo seu trabalho! Se além de responder meu email, você puder dar um alô pra minha garotada no seu blog, eu ficaria agradecida. O nome do colégio é C.E. Professora Francisca Jeremias e ele fica em Vilar dos Teles, São João de Meriti, Rio de Janeiro.
Não esquece do Rio na turnê 2010! Grande abraço. Georgia Barbosa.

4 comentários:

Georgia disse...

Como diria o mestre Paulo Freire: "educar exige alegria, esperança e convicção de que a mudança é possível". Essa troca renovou minha esperança. Valeu Ferréz!

xXxEudesxXx disse...

Eai ferrez blz meu nome é eudes, sou aqui do angela cara, to fechando uma festa rap no club sattva, queria saber da possibilidade de fazermos o tr3f lá, abração cara

meu email ae... eudes_xxx@yahoo.com.br

Mariana disse...

Ferrez, acompanho o seu trabalho desde os meus tempos de faculdade. Tive inclusive a oportunidade de assistir a uma palestra sua com o Paulo Lins na FL/UFRJ.

Gosto da forma como vc representa a periferia, fala de dentro e fala bem! Sou professora da rede pública RJ e realmente o que fazemos é praticamente um milagre... Resolvi relatar minhas experiências e impressões num blog... Ele anda meio paradinho, mas logo, logo vou retomá-lo. Adoraria que vc desse uma olhada.

Abraço,


Mariana

japao disse...

é desse jeito...
sem palavras.