Blog do escritor Ferréz

Textos de Capão Pecado proibido na Bahia.

Salve
Como agente não consegue ficar em paz muito tempo, depois de caçar meus trabalhos em Minas Gerais, agora a bola da vez é a Bahia, o Ministéiro Público já foi acionado e está averiguando a denúncia de trechos do Capão Pecado, meu primeiro livro, que foi usado na escola de lá no livro Linguagem, práticas de leitura e escrita, escrito por Anna Christina Bentes, publicado pela Global e Ação Educativa.
Quero aqui dizer a professora que está sendo vítima de perseguição por usar o livro, que é inclusive indicado pelo MEC, que torço para que os responsáveis pela secretaria de educação não se deixem manipular pela reportagem do jornal Bahia Meia Dia, que fez uma reportagem tendenciosa e preconceituosa sobre o livro, pra quem não sabe o jornal é do Grupo Rede Globo de televisão.
Num pais onde programa como Pânico na TV mostra até o "útero" das mulheres, e onde nosso símbolo de carnaval é uma mulher negra nua rebolando com a vinheta da Globo, até que eu devo estar errado mesmo, por tratar de temas como a Aids e machismo.
leia logo abaixo a matéria feita no blog http://www.literaturaclandestina.blogspot.com/
HIPOCRISIA NA EDUCAÇÃO
“Pais de alunos denunciam uso de livro com conteúdo erótico em escola estadual em Feira de Santana.” Por Elenilson Nascimento
Hoje, 26/03, a direção da Escola Estadual Godofredo Filho, em Feira de Santana, cidade do interior da Bahia, sobre pretexto de ter recebido protesto de pais de alunos, recolheu o livro didático “Linguagem - Práticas de Leitura e Escrita” de Anna Christina Bentes, distribuído numa sala de aula de 8ª série por uma professora, pois no livro continha textos literários onde supostamente relatava, em detalhes, relações sexuais entre dois personagens.
O livro fazia parte de uma atividade proposta por uma professora de português de uma turma de 8ª serie.
Um dos pais dos alunos procurou o Procon de Feira de Santana para reclamar sobre o conteúdo do livro, que considerou inadequado.
O diretor do Procon, Magno Felzemburg, provavelmene um pedagogo e/ou funcionário da educação, entendeu – por obra do Espírito Santo – que a linguagem era imprópria para crianças e adolescentes e decidiu encaminhar o caso ao Ministério Público.
“Como não é uma escola particular e não se trata de uma relação de consumo, estamos recomendando apuração”, afirmou Felzemburg.
Por sua vez, a diretora da escola, Delma Ribeiro, justifica que o livro destinava-se a jovens e adultos que estudam na escola no turno noturno.
“Não sabemos por que a professora usou na 8ª série. Eu pessoalmente digo que não usaria. Mas a professora é responsável e inclusive pediu uma reunião para se justificar com os pais”, declarou a diretora.
Pela internet, verifiquei no site da Rede Bahia, no Jornal do Meio Dia, uma matéria sobre o assunto, onde uma aluna com uma "cara de sacana" diz ter ficado horrorizada com o livro que foi adotado por conta própria pela professora de português.
O problema, segundo alguns alunos que denunciaram o caso, é que o livro usado na atividade relata em um texto, e em detalhes, relações sexuais entre os personagens.
Na edição, dois textos com teor erótico e palavras de cunho sexual chamaram atenção dos estudantes: o romance “Capão Pecado”, de Reginaldo da Silva, o Ferréz, que conta a história de um grupo de adolescentes e a autobiografia de uma mulher que contraiu Aids.
Assunto incompreensível para essa facha etária? A turma com alunos entre 13 e 16 anos ainda não havia recebido os livros oficiais de português entregues pelo Ministério da Educação, por isso o livro didático polêmico com trechos da obra de Ferréz estaria sendo usado temporariamente.
Ferréz, o autor do polêmico(?) texto incluso num livro didático. Mas parece que esse livro “Capão Pecado” do Ferréz está sendo vítima de uma verdadeira caça às bruxas, pois caso parecido já aconteceu também em Minas Gerais, como o próprio autor escreveu no seu blog que, segundo o autor, talvez seja porque “nas nossas escolas ninguém fala palavrão, e palavrão para ele é FOME, Corrupção e Hipocrisia”.
Como também já foi notícia na revista Isto É.
Eu só queria saber onde esse povo vive? Aí, esqueci: Feira de Santana! Pois parece que em Feira as pessoas não têm contato com sexualidade, que essas coisas não são vistas a qualquer hora nos patéticos programas de TVs, nos BBBs imbecis que todo mundo assiste, nas novelas cheias de duplo sentido, nos desenhos animados e, principalmente, na merdinha da “Malhação” com o filho de Fábio Jr. Me poupe! Provavelmente, os alunos que mais ficaram indignados são os que menos deveríamos ser ouvidos, são aqueles que vão para os colégios para ficarem com as suas caras de sacanas perturbando nas aulas.
“Ela chegou aqui na sala, saiu distribuindo os livros. A gente pegou o livro e foi folheando. Quando folheou, a gente viu os textos eróticos e ficamos horrorizados. Todo mundo da sala ficou horrorizado porque eram palavras pornográficas mesmo”, contou uma aluna indignada na TV. Após a denúncia, a turma não quer mais ter aulas com essa professora. Lógico! O diretor da Direc, professor Eutímio Almeida, confirmou que o material é indicado sim para o programa de ensino de jovens e adultos e teria sido usado pela professora por conta própria. Um colegiado formado por professores, pais e alunos da Escola Estadual Godofredo Filho vai decidir se a professora deve ou não ser punida pela falha. Falha?
Mas que falha? A mulher teve a ideia, coisa muito rara entre professores, de trabalhar com um livro e agora querem queimá-la? Só nesse país de bagaça mesmo que acontece essas coisas. O debate que devia girar em torno da desigualdade social que o texto do Ferréz no livro aborda, desembocou no tipo de linguagem usado.
E, contraditoriamente, os alunos do Ensino Médio, via de regra, são os que normalmente denunciam e também os que raramente “contribuem espontaneamente” com a escola. Por outro lado, a maioria dos veículos de comunicação, acreditando estar fazendo seu papel social, abre os microfones aumentando ainda mais o peso de denúncias tão sem sentido. O que todos eles deveriam denunciar são os prolongamentos dos feriados, os conselhos de classe que não servem para nada, as reuniões pedagógicas inúteis e as inúmeras outras razões para aprovação em massa de alunos por professores, especialmente para os terceiros anos do Ensino Médio. Vale ressaltar que esta conta é superficial, se analisarmos cada dia, escola e turma, seguramente os números são ainda mais assustadores.
E porque ninguém denuncia? Nem os estudantes, nem os pais, nem os professores, nem os diretores, nem os jornais, nem o Conselho Tutelar, nem o Ministério Público. Cadê o governo, a sociedade desorganizada e a organizada, ou alguém que se preocupe com nossas crianças e adolescentes? Porque a escola que deveria ensinar e cumprir a lei, exercendo e fazendo exercer a cidadania é a primeira a descumprir sua regra maior, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação e a Constituição Federal. Mas eu também quero ter um texto polêmico num livro didático para também ser crucificado por pais, professores e estudantes cada vez mais imbecis! + Agora, assista o vídeo da reportagem no Bahia Meio Dia, TV Bahia, onde a pobre alma da professora é colocada como a que usou livro com histórias eróticas:

25 comentários:

Jéssica Balbino disse...

Ferréz ! Que absurdo ler isso. Ainda querem que a professora seja punida por estar ensinando?! Em que mundo esta gente vive?! E os alunos que comentaram, será que ficam indignados com as cenas do BBB? Que horror !
bjo

DANILO. disse...

Moro em salvador.

Mulheres dança com calcinha toda enfiada, outra dança encima do carro sao filmadas e postas no youtube. sao descobertas por programas sensacionalistas daq e ficam famosas.

preciso falar mais alguma coisa?

Nao quero dizer que meu estado é um brega, mas se fazer uma comparaçao do acontecido em Feira de Santana com esses acontecimentos que citei ai encima.Qual sera o resultado?

Fabrine... disse...

Putz... Uma coisa dessa tinha que acontecer na minha "Bahia"?

Infelizmente meu caro escritor não é só no ensino médio e fundamental que isso acontece... Na universidade também somos sucateados e teleguiados (os que permitem alienar, claro)... Essa terra que mora debaixo de meus pés é terra de "coronel" e quem ousa pensar é massacrado pela mídia vendida e patética...

Quer pornografia maior do que criancinha dançando 'rebolation'? Quer coisa pior do que deixar os filhos descendo em 'boquinhas de garrafas'? Fala sério Bahia! A quem queremos enganar?

Queria viver pra ver o baiano pensar por si só e deixar que seus filhos se tornem seres críticos...

Peço desculpas pelos 'acarajés' cuspidos pela TV desta terra Ferréz... Infelizmente os coronéis ainda mandam, mesmo estando ardendo nas chamas do inferno...

Abraço! Fabrine!

"єuร" єм тяคиรє disse...

Ferréz,escrevi um txt sobre seu trabalho: "Apontamentos sobre a literatura de Ferréz" http://www.eusemtranse.blogspot.com/ Gostaria que você comentasse. É, na verdade, apenas uma primeira impressão sobre sua literatura, mas que pretendo desenvolver. Abraço

japao disse...

salve meu querido!!
é lamentável ver como a hipocrisia predomina, e de varias formas...
na minha escola não chegou nenhum dos seus livros, mas sei que há em algumas escolas daqui. Segue firme e forte na caminhada ai!!! abço

Adriana disse...

A hipocrisia e a ignorância de algumas pessoas ganhou uma proporção tão grande, que toda sala de aula foi prejudicada. Tenho certeza que a maioria dos alunos gostaram do texto.

Qualquer iniciativa de introduzir uma literatura crítica e transformadora em sala de aula é boicotada. Por que? Como incentivar o hábito da leitura, se os jovens não encontram suas realidades nos livros "formais" que a escola orienta a ler?

Quem quiser ensinar de verdade nesse país tem que fazê-lo "por debaixo dos panos".

Daniel-Melo disse...

ESSE É O MEC! MISÉRIA EDUCACIONAL CRESCENTE! QUANDO SURGEM PESSOAS COM NOVAS PROPOSTAS PEDAGÓGICAS LOGO SÃO REPREENDIDAS, É UMA DIDATURA PEDAGÓGICA DISFARÇADA! SÓ FALTA PRENDEREM COMO FIZERAM COM FREIRE! A EXPANSÃO DA MENTE DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES SE RESUME NO PLIMPLIM E NAS PANIQUETES OU COCORITETES SEI LA!! QUE MERDA FERREZ!! DEPOIS DIZ QUE O BRASIL TA CRESCENDO E SE DESENVOLVENDO!! UNS MISERÁVEIS CADERNOS COM CONTEÚOS FECHADOS E LIMITADOS ESTÃO SENDO DISTRIBUIDOS NAS ESCOLAS E ACHAM QUE ESTA RESOLVENDO O PROBLEMA (PÃO E CIRCO)! O PROFESSOR PERDEU SUA AUTONOMIA E AGORA PRESCISA SEGUIR ESSE CADERNINHO IDIOTA! SENÃO ACONTECE ISSO QUE ESTÁ ACONTECENDO COM A PROFESSORA BAIANA. LAMENTÁVEL ESSE TOTALITARISMO ENTRE OS MUROS ESCOLARES!! O EXTERNO ENTROU NO INTERNO E PRA DESIMPREGNAR SERÁ DIFÍCIL!! LUTA E LUTAS

Dom Quixote disse...

Moro em União da Vitória, no Paraná e no ano de 2009 aconteceu coisa parecido com o livro "Amor à Brasileira", enviado pelo MEC (programa de incentivo a leitura. O conteúdo "pornográfico" irritou também os coronéis daqui. Um vereadorzinho chulé chegou ir para rádio falar todas as palavras consideradas sacanas. Sacana é este cara que ficou seis meses indo de mídia em mídia promovendo a sua testa moralista com o dinheiro nosso. Sou professora de Língua Portuguesa e acredite ou não grande parte dos meus colegas foi na onda do cara. Que vergonha ainda uma categoria desunida que foge para não fazer greve alegando que "não gostam de política", e quando um imbecil deste faz este tipo de coisa, dão total apoio ... hipócritas... que nojo!!! Detalhe: em nenhum momento os professores comentaram sobre a quantidade de livros de literatura enviados para as escolas pelo governo federal.

Dom Quixote disse...

Moro em União da Vitória, no Paraná e no ano de 2009 aconteceu coisa parecido com o livro "Amor à Brasileira", enviado pelo MEC (programa de incentivo a leitura. O conteúdo "pornográfico" irritou também os coronéis daqui. Um vereadorzinho chulé chegou ir para rádio falar todas as palavras consideradas sacanas. Sacana é este cara que ficou seis meses indo de mídia em mídia promovendo a sua testa moralista com o dinheiro nosso. Sou professora de Língua Portuguesa e acredite ou não grande parte dos meus colegas foi na onda do cara. Que vergonha ainda uma categoria desunida que foge para não fazer greve alegando que "não gostam de política", e quando um imbecil deste faz este tipo de coisa, dão total apoio ... hipócritas... que nojo!!! Detalhe: em nenhum momento os professores comentaram sobre a quantidade de livros de literatura enviados para as escolas pelo governo federal.

Dom Quixote disse...

Aconteceu algo parecido aqui na pequena e velada cidade de União da Vitória, no Paraná. Um vereadorzinho e também diretor de uma escola local chegou a ir na rádio repetir os ditos palavrões do livro Amor à Brasileira enviado pelo MEC para as escolas. Diga-se de passagem que ele não comentou sobre a quantidade de livros de literatura enviada às escolas neste gorverno. O mais triste gente foi ver que colegas professores de língua portuguesa aplaudiram o ato do coronel, comentam sempre nos encontros pedagógicos que não gostam de política, nas greves para reivindicar salários, somem, fogem...
Que nojo gente, que de-cep-ção!!

Dom Quixote disse...

Aconteceu algo parecido aqui na pequena e velada cidade de União da Vitória, no Paraná. Um vereadorzinho e também diretor de uma escola local chegou a ir na rádio repetir os ditos palavrões do livro Amor à Brasileira enviado pelo MEC para as escolas. Diga-se de passagem que ele não comentou sobre a quantidade de livros de literatura enviada às escolas neste gorverno. O mais triste gente foi ver que colegas professores de língua portuguesa aplaudiram o ato do coronel, comentam sempre nos encontros pedagógicos que não gostam de política, nas greves para reivindicar salários, somem, fogem...
Que nojo gente, que de-cep-ção!!

Dom Quixote disse...

Aconteceu algo parecido aqui na pequena e velada cidade de União da Vitória, no Paraná. Um vereadorzinho e também diretor de uma escola local chegou a ir na rádio repetir os ditos palavrões do livro Amor à Brasileira enviado pelo MEC para as escolas. Diga-se de passagem que ele não comentou sobre a quantidade de livros de literatura enviada às escolas neste gorverno. O mais triste gente foi ver que colegas professores de língua portuguesa aplaudiram o ato do coronel, comentam sempre nos encontros pedagógicos que não gostam de política, nas greves para reivindicar salários, somem, fogem...
Que nojo gente, que de-cep-ção!!

Dom Quixote disse...

Aconteceu algo parecido aqui na pequena e velada cidade de União da Vitória, no Paraná. Um vereadorzinho e também diretor de uma escola local chegou a ir na rádio repetir os ditos palavrões do livro Amor à Brasileira enviado pelo MEC para as escolas. Diga-se de passagem que ele não comentou sobre a quantidade de livros de literatura enviada às escolas neste gorverno. O mais triste gente foi ver que colegas professores de língua portuguesa aplaudiram o ato do coronel, comentam sempre nos encontros pedagógicos que não gostam de política, nas greves para reivindicar salários, somem, fogem...
Que nojo gente, que de-cep-ção!!

Dom Quixote disse...

Moro em União da Vitória, no Paraná e no ano de 2009 aconteceu coisa parecido com o livro "Amor à Brasileira", enviado pelo MEC (programa de incentivo a leitura. O conteúdo "pornográfico" irritou também os coronéis daqui. Um vereadorzinho chulé chegou ir para rádio falar todas as palavras consideradas sacanas. Sacana é este cara que ficou seis meses indo de mídia em mídia promovendo a sua testa moralista com o dinheiro nosso. Sou professora de Língua Portuguesa e acredite ou não grande parte dos meus colegas foi na onda do cara. Que vergonha ainda uma categoria desunida que foge para não fazer greve alegando que "não gostam de política", e quando um imbecil deste faz este tipo de coisa, dão total apoio ... hipócritas... que nojo!!! Detalhe: em nenhum momento os professores comentaram sobre a quantidade de livros de literatura enviados para as escolas pelo governo federal.

Dom Quixote disse...

Moro em União da Vitória, no Paraná e no ano de 2009 aconteceu coisa parecido com o livro "Amor à Brasileira", enviado pelo MEC (programa de incentivo a leitura. O conteúdo "pornográfico" irritou também os coronéis daqui. Um vereadorzinho chulé chegou ir para rádio falar todas as palavras consideradas sacanas. Sacana é este cara que ficou seis meses indo de mídia em mídia promovendo a sua testa moralista com o dinheiro nosso. Sou professora de Língua Portuguesa e acredite ou não grande parte dos meus colegas foi na onda do cara. Que vergonha ainda uma categoria desunida que foge para não fazer greve alegando que "não gostam de política", e quando um imbecil deste faz este tipo de coisa, dão total apoio ... hipócritas... que nojo!!! Detalhe: em nenhum momento os professores comentaram sobre a quantidade de livros de literatura enviados para as escolas pelo governo federal.

Dom Quixote disse...

Aconteceu algo parecido aqui na pequena e velada cidade de União da Vitória, no Paraná. Um vereadorzinho e também diretor de uma escola local chegou a ir na rádio repetir os ditos palavrões do livro Amor à Brasileira enviado pelo MEC para as escolas. Diga-se de passagem que ele não comentou sobre a quantidade de livros de literatura enviada às escolas neste gorverno. O mais triste gente foi ver que colegas professores de língua portuguesa aplaudiram o ato do coronel, comentam sempre nos encontros pedagógicos que não gostam de política, nas greves para reivindicar salários, somem, fogem...
Que nojo gente, que de-cep-ção!!

IKAH disse...

cada individuo tem sua CULTURA e CRIACAO te existe gente que se endigina com esses tipos di textos
Agora me diz uma coisa se educar formalmente ja e dificil imagine com palavroes, o povo pode ate saber oq e mais ningeim e como voces meus horizontes sao abertos
pra razao e nao para pornografia deixe que os alunos tenha acesso a essas coisa quando estiveren mais perparados nao na oitava serie esse tipo de literatura deve ser trabalhada mais tarde pois e muito vulgar

Amar e mudar as coisas disse...

Moro e sou professora em Cidade Tiradentes, bairro de São Paulo.
Li o seu livro (Capão Pecado)e fiquei super interessadaa em usa-lo nas minhas aulas, por achar que tem tudo a ver com a realidade de muitos de meus alunos.
Depois fiquei surpresa por ser aconselhada por alguns colegas de profissão para não usar esse livro com os mesmos argumentos que estão agora sendo utilizados na Bahia para tentar proibi-lo.
Fico chocada com as barbaridades que meus alunos falam livremente na sala de aula, com o descaso de alguns professores e com o desinteresse da maioria dos pais, não com o seu livro, mas, infelizmente a hipocrisia ainda reina nesse país. Mas deixe estar, por aqui ainda sigo na luta diaria que é tentar educar.

Amar e mudar as coisas disse...

Moro e sou professora em Cidade Tiradentes, bairro de São Paulo.
Li o seu livro (Capão Pecado)e fiquei super interessadaa em usa-lo nas minhas aulas, por achar que tem tudo a ver com a realidade de muitos de meus alunos.
Depois fiquei surpresa por ser aconselhada por alguns colegas de profissão para não usar esse livro com os mesmos argumentos que estão agora sendo utilizados na Bahia para tentar proibi-lo.
Fico chocada com as barbaridades que meus alunos falam livremente na sala de aula, com o descaso de alguns professores e com o desinteresse da maioria dos pais, não com o seu livro, mas, infelizmente a hipocrisia ainda reina nesse país. Mas deixe estar, por aqui ainda sigo na luta diaria que é tentar educar.

Camilla para os menos íntimos... disse...

RIDICULO!

SINTO MUITO, EU ME ENVERGONHO POR VEZES PELAS PESSOAS, E DESSA VEZ NÃO FOI O CONTRÁRIO.

CONTINUEMOS NA LUTA.
MUITO AXÉ PRA TI.

Braga e Poesia disse...

Cuba. Embargo. Brega e a ditadura começa a morrer
Acordei em um lugar muito barulhento. As pessoas com cara de fome tentavam se mostrarem alegres, e eu não entendia. Eu estava em uma casa velha e com aspectos de abandono, ao lado esquerdo um carro velho e inutil impedia a minha visão do campo, um rapaz de vinte anos ao meu lado insistia em querer saber o que eu fazia ali, e só depois de muita conversa ele me disse:
- Aqui temos que parecer fellizes, o senhor das mentes que se autodenomina de pai do sociaIismo, impõe a nossa felicidade, se não somos acusados de filhos de tio sam.
Eu então entendia aquela falsa felicidade exibido nos rostos de cansados e escravos homens, mulheres e crianças. Eles famintos seriam acusados de filhos de tio sam o rico. Mas como acusa-los sem a prova, perguntei ao rapaz
-Prova, vc é louco a prova aqui é a acusação quando ocorre, na verdade eles prendem e nada dizem. O preso quando não some, é solto trinta quarenta anos deppois.
- Mas até onde vocês vão suportar?
- Até o dia que não mais suportar. Veja bem meu senhor aqui em Cuba antes desses imperadores era um brega americano, hoje somos bregas de turistas do mundo todo, meninos e meninas de 9, 10 anos são prostitutuidos sexualmente para viverem e sustentarem suas familias. O brega continua, antes era por causa de Batista, hoje é por causa do embargo americano. Mas na verdade o embargo trabalha para os imperadores irmãos castros.
Anotei assustado os dados daquela ditadura e pensei que o brasil não poderia e não se tornará um covil para facistas vermelhos. sempre fomos atrasados em tudo e quando o mundo diz adeus ao cruel sistema mentiroso comunista que foi na russia um desastre iqual ao desastre nazista, alguns pensadores menores querem impor a nação um vergonhoso sistema que se baseia no puxa saquismo, na mentira e na escravidão.
Afinal a direita precisa de minha semiliberdade e enquanto a esquerda precisa de minha servidão, sem a escravidão a esquerda não resiste um minuto.
Olhei em volta da casa e soldados guevaristas se preparavam para mais um assassinato.

ronaldo braga

Gi Novais disse...

Tenho notado que estamos numa volta à censura...uma censura camurflada de hipocrisia. A mídia diz: Faça! e quando a sociedade faz, a mídia diz: Condene-o!Prenda-o! proiba-o!E, normalmente, os primeiros a pagarem o pato pela censura, são os pensadores e os professores...(sem mais, calo-me.)

Jorge Edson Sabaraense Borja disse...

Fala Mano Ferrez, tranquilo? Conheço seus textos não é d hj...desde q vc foi dar uma palestra na UFRJ eu leio e uso seus textos em sala de aula. Esse ano msm estou trabalhando com 2 turmas de primeiro ano do ensino médio o seu livro Capão Pecado, iremos discutir a desigualdade social, cmo o texto foi escrito,sua vida e td mais q o livro oferece. para atrair os alunos, li a pag 79/80 da versão de 2005 em sala d aula, o efeito foi mt bom. Ao procurar mais coisas sobre o livro achei a noticia e o tetxo em seu blog, acho q serei mais a ser apdrejado por uma sociedade hipócrita, ignorante e sem leitura, mas continuarei a inserir sua literatura na minha prática pedagógica...abraços

fernando disse...

é isso ai ferréz firme e forte na luta, cara lendo esse texto quanta indignação me causa, ver a ipocrisia e a anestesia em que vive o povo o povo brasileiro, ser tão mal interpretada pr querer trazer algo novo por querer fazer a diferença, mais essas criticas tanbem são o mais claro sinal de uqe algo esta mudando e incomodando aqueles que querem ver o povo sempre na merda e na mais profunda ignorância.

mais é isso ai ferréz a luta não pode para

marcus figueiredo disse...

A literatura é vista como pornografia,pois relata um ato sexual.Então o que dizer de alunos que transam dentro da escola,será que já existe algum nome?Que esse pais acordem para ver o que realmente é pornografia,e garanto que não está no livro de Ferrez.