Blog do escritor Ferréz

Braço HQ do Selo Povo

O processo organizacional da Selo Povo continua a milhão, semana passada saiu o ISBN do Cronista de um tempo ruim, nosso primeiro livro, e nessa semana a gráfica começa a trabalhar nas primeiras 2.000 cópias.
Logo em seguida o Livro da Cernov começa a ganhar vida de fato, já está definido o número de contos e Rondônia vai ganhar a legitimidade que merece com essa grande escritora.
E como a casa das idéias periféricas não descansa, olha quem requisitamos para o selo de quadrinhos que estreará em dezembro, trazendo o álbum 1000 fitas, desenhado e colorido por Alexandre de Maio.
Lourenço Mutarelli prepara logo para Selo Povo
Lourenço Mutarelli está fazendo o logo do braço de HQ´s da Selo Povo, em breve vamos ver como o maior talento dos quadrinhos e um dos maiores escritores contemporâneos vê a editora da periferia. Tendo vivido tantos anos em Itaim Paulista, Lourenço com certeza vai surpreender.
o nome do braço de quadrinhos do Selo Povo, você vai saber no dia do lançamento, enquanto isso acompanhe um pouco da biografia de Lourenço.
Lourenço Mutarelli nasceu em São Paulo no dia 18 de abril de 1964. Cursou a Faculdade de Belas Artes porque queria pintar quadros, mas sempre sentia a necessidade de pintar também algumas palavras. Durante três anos, trabalhou nos estúdios de Mauricio de Sousa, no começo como intercalador e depois como cenarista, onde conseguiu deixar um pouco de sua marca sombria.Entusiasmado pelo grande número de revistas que surgiram na década de 80, tentou publicar suas histórias, mas elas eram consideradas muito "estranhas". Quando tentou fazer humor, criou o Cãozinho sem pernas, que, nos dias de hoje, ainda é lembrado com saudade pelos seus fãs.Iniciou sua produção em histórias em quadrinhos por meio dos fanzines, edições alternativas com pequenas tiragens publicadas com recursos de xerox ou pequenas impressoras, distribuídas pelo próprio autor. Seus dois títulos, Over-12 (1988) e Solúvel (1989) tiveram 500 exemplares impressos pela extinta Editora Pro-C, de Francisco Marcatti, importante nome nos quadrinhos underground na década de 80, e hoje são raridades muito bem conservadas nas mãos de seus fiéis leitores.Publicou ainda histórias de uma página na revista Animal, publicação mensal sob a editoração de Rogério de Campos, Fabio Zimbres, Priscila Farias e Newton Foot, e em outros títulos da Editora Vidente, de Gilberto Firmino. Com Marcatti e Glauco Mattoso editou a revista Tralha, também publicada pela Vidente. Tendo trabalhos premiados consecutivamente, Lourenço criou a trilogia do acidente, escreveu o Cheiro do Ralo, Natimorto, Jesus Kid e agora é autor da Companhia das letras.
mais sobre lourenço no site da Devir.

Diomêdes, personagem clássico de Mutarelli.

3 comentários:

WILSÃO NEGREDO E RENATO VITAL A CORRENTE FORTE DO GUETO disse...

Barbiele é muito loko mano, comprei lá na loja da galeria borba gato. Abraços.

ANALISES SINTÁTICAS DA REALIDADE disse...

Mutarelli tem uma marca muito forte em seu trabalho. Não é aquela frescura de sempre, para deomnstrar que o cara tem ou não talento para a coisa. Ele, Mutarelli, faz o que tem de fazer e pronto. Vai direto ao nervo exposto.
analisessintaticasdarealidade.blogspot.com

ANALISES SINTÁTICAS DA REALIDADE disse...

Mutarelli tem uma marca muito forte em seu trabalho. Não é aquela frescura de sempre, para deomnstrar que o cara tem ou não talento para a coisa. Ele, Mutarelli, faz o que tem de fazer e pronto. Vai direto ao nervo exposto.
analisessintaticasdarealidade.blogspot.com