Blog do escritor Ferréz

Ferréz e Sérgio Vaz nesse sábado.


O ESCRITOR FERRÉZ E O POETA SÉRGIO VAZ ESTREIAM COMO ATORES NO ESPETÁCULO "PEDRAS NÃO FALAM, MAS QUEBRAM VIDRAÇAS"

ITAU CULTURAL convida


A(u)tores em Cena...quando os escritores se tornam atores.

Quatro escritores vão sair de trás das páginas de seus textos para representá-los no palco, diante do público do Itaú Cultural.
Nesse sábado dia 11 de abril, o poeta Sérgio Vaz, criador do movimento de poesia da periferia Cooperifa, e o ficcionista Ferréz, protagoniza A(u)tores em Cena: espetáculo com até 40 minutos nos quais os autores, dirigidos por diretores profissionais, experimentam o gostinho de interpretar em carne e osso o que colocaram no papel. O público passa de leitor a espectador da obra de alguns dos principais nomes da nova geração de escritores e diretores de teatro brasileiros.
Não se trata de leituras de textos e sim de apresentações teatrais, com sonoplastas, iluminadores, músicos, cenário, fotógrafos e dirigidos pelas mãos de um diretor teatral. O evento foi idealizado e será apresentado pelo escritor Marcelino Freire. programação
sábado 11 de abril20h
Pedras Não Falam mas Quebram Vidraças com texto e interpretação de Ferréz e Sérgio Vaz direção de Mário Pazini - participação especial do Grupo Clariô de Teatro classificação etária: livre.
Itau Cultura, Avenida Paulista.

4 comentários:

Anderson Alves disse...

Nossa!! vai ser embaçado essa parada!!..vou ver se chego cedo lá no Itaú pra nâo perder essa oportunidade..

salve poetas
salve Ferrez

abraço

WILSÃO NEGREDO E RENATO VITAL A CORRENTE FORTE DO GUETO disse...

Assim como o show do Dexter,vai ser inesquecivel mano. Abraços.

Hiago Rodrigues Reis de Queirós disse...

Demorô que eu vô deixar essa passar... amanhã vou tá lá uma hora mais cedo!

Anderson Alves disse...

Bom..estive assistindo a peça de vocês..e gostei muito..du caralho!!
Textos bons e contemporâneos..
Belíssima atuação sua,do Sergio Vaz e das meninas...
Parabéns...

P.S Bem que poderia haver epaços como o do Itaú Cultural, com grande infra estrutura, nas periferias dos quatro cantos da cidade