Blog do escritor Ferréz

Faixa de Gaza é invadida por Israel

Salve
Vou publicar abaixo um pouco do que está acontecendo na Faixa de Gaza, o mais impressionante é que fora todo abuso que a Palestina vem sofrendo a anos, tendo seu território saqueado covardemente pela ganância do governo de Israel, e eu nem vou esticar o assunto falando dos assentamentos ilegais que centenas de israelenses oportunistas constroem da noite para o dia no pouco que sobrou do território Palestino.
A real é que por muito menos, paises como os Estados Unidos já entraram em guerras, lembram do Kwait?
bom, a questão é que um lado tem o poder (leia-se $) afinal boa parte da riqueza americana está nas mãos dos Judeus, não vou generalizar, porque na verdade tem muita gente dentro de Israel que não quer essa guerra, mas também tem muita gente que apoia e promove.
alguém está perguntando sobre os mísseis do Hamas, mas o que Israel está fazendo é como exterminar todo o Brasil por causa de alguma quadrilha.
a comparação é essa, o Hamas é pequeno, impotente, tanto que seus mísseis dificilmente matam alguém, e não estou dizendo que estão certos, agora promover mais de 400 mortes antes dessa covarde e desnecessária invasão por terra só para combater alguns "terroristas" é a mostra do desrespeito que eles tem pela O.N.U.
O governo americano como sempre, fica do lado de quem tem $, e diz a todo momento.
A culpa é dos mísseis do Hamas.
e olha que antes eram homens e mulheres bombas.
como sempre a culpa fica pra quem é minoria, pra quem é sempre humilhado, pra quem não tem dinheiro para gastar com fuzis americanos.
Boa sorte Palestina, estamos de olho.
abaixo, um resumo "midiático" do que está acontecendo.
Exército isralense inicia invasão por terra na Faixa de Gaza; tanques bombardeiam região

GAZA - As tropas israelenses entraram neste sábado na Faixa de Gaza e enfrentaram os islâmicos do Hamas, pela primeira vez desde o início, há uma semana, da ofensiva que já provocou a morte de mais de 460 palestinos.

AP
Tanque abre fogo contra a Faixa de Gaza
O grupo palestino Hamas, que controla a Faixa de Gaza, ameaçou transformar este território em "cemitério" para os soldados israelenses, enquanto o presidente palestino, Mahmud Abbas, condenava a operação terrestre e pedia uma reunião urgente do Conselho de Segurança da ONU.O Exército de Israel anunciou que a ofensiva terrestre, a primeira desta envergadura desde a evacuação da Faixa de Gaza, em 2005, durará "muitos dias". O governo israelense explicou que o objetivo é "tomar o controle" dos setores de Gaza de onde são disparados os foguetes contra Israel.Um dirigente militar israelense já afirmou que dezenas de palestinos armados foram mortos nas horas que seguiram a ofensiva terrestre, e ressaltou a ausência de perdas israelenses.No entanto, a rede de televisão do Hamas, a Al-Aqsa TV, mencionou vários soldados israelenses mortos no norte da Faixa de Gaza.Desde o início de sua ofensiva, em 27 de dezembro, Israel bombardeara por ar e por mar a Faixa de Gaza, onde pelo menos 463 palestinos, entre eles 75 crianças e 21 mulheres, morreram, e 2.360 ficaram feridos, segundo fontes médicas palestinas.Durante o mesmo período, cerca de 500 foguetes palestinos disparados desde a Faixa de Gaza mataram quatro pessoas em Israel, entre eles um soldado, e feriram outras 15, segundo as autoridades israelenses."Gaza será seu cemitério, com a ajuda de Deus", afirmou um porta-voz do Hamas
Um "número importante de forças" está participando da "segunda fase" da ofensiva, que começou com a entrada de tropas na Faixa de Gaza, afirmou o Exército, ameaçando com represálias os moradores de Gaza que ajudarem os "terroristas" do Hamas.O ministro israelense da Defesa, Ehud Barak, assinou "uma ordem de mobilização urgente de milhares de reservistas" para esta ofensiva.Depois de entrarem na Faixa de Gaza, tanques israelenses abriram fogo contra posições do Hamas no norte do território, e os combatentes islâmicos responderam com tiros de morteiro, segundo testemunhas.Explosões e trocas de tiros foram ouvidos em vários setores, enquanto as tropas, apoiadas por helicópteros Apache, avançavam na Faixa de Gaza. Os ativistas palestinos dispararam obuses de morteiro e detonaram várias bombas à beira das estradas durante sua passagem.Uma criança palestina morreu e outras 11 pessoas ficaram feridas na explosão de um obus de tanque israelense na cidade de Gaza, segundo fontes médicas e testemunhas.
"Gaza será seu cemitério, com a ajuda de Deus", afirmou um porta-voz do Hamas, Ismail Radwan, ao ler um comunicado na rede de TV do Hamas, que também divulgou uma mensagem segundo a qual "a resistência preparou centenas de homens e mulheres para conduzir operações mártires (atentados suicidas).Em mensagem divulgada poucas horas antes, o Hamas ameaçara seqüestrar soldados israelenses.A aviação israelense continuou com seus bombardeios e matou pelo menos 22 palestinos neste sábado, 16 deles em uma mesquita. Dois importantes líderes locais do Hamas estão entre os mortos, segundo fontes palestinas.Já os ativistas palestinos dispararam pelo menos 15 foguetes contra o sul de Israel, onde três pessoas foram feridas em Ashdod e Netiviot, respectivamente a 30 km e 20 km da Faixa de Gaza, segundo o Exército israelense.Ehud Barak também afirmou que seu país está pronto para qualquer eventualidade na fronteira com o Líbano, em advertência velada ao movimento xiita libanês Hezbollah, que travou uma guerra contra o Estado hebreu em meados de 2006.Para o líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah, o Hamas e as demais facções de "resistência" têm que infligir "o maior número possível de perdas" ao Exército israelense.A ofensiva de Israel também provocou uma séria deterioração da situação humanitária na Faixa de Gaza, um território densamente povoado que já era pobre antes da guerra."A situação em Gaza é terrível, e muitos produtos alimentares básicos já não estão mais disponíveis", alertou Christine van Nieuwenhuyse, representante do Programa Alimentar Mundial (PAM) nos territórios palestinos.
"A situação em Gaza é terrível, e muitos produtos alimentares básicos já não estão mais disponíveis", diz representante do Programa Alimentar Mundial (PAM)
O governo do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, reiterara na sexta-feira que a decisão de lançar ou não uma ofensiva terrestre na Faixa de Gaza cabia somente a Israel, limitando-se a pedir a Tel Aviv que evite ao máximo vítimas civis.O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, "está atento à situação em Gaza", declarou neste sábado sua porta-voz, Brooke Anderson, ressaltando no entanto, para justificar o silêncio prudente de Obama: "Há apenas um presidente de cada vez, e pretendemos respeitar isso".No âmbito diplomático, uma missão da União Européia (UE) liderada pelo ministro tcheco das Relações Exteriores, Karel Schwarzenberg, cujo país preside atualmente a UE, é aguardada domingo no Oriente Médio para discutir sobre um cessar-fogo. No entanto, o primeiro-ministro tcheco, Mirek Topolanek, já declarou que considera a operação terrestre israelense "mais defensiva do que ofensiva".O presidente da França, Nicolas Sarkozy, chegará segunda-feira à região e manterá uma reunião com o presidente palestino, Mahmud Abbas, na Cisjordânia. Abbas viajará em seguida a Nova York para defender na ONU a necessidade de uma trégua. De acordo com um dirigente palestino, Yasser Abed Rabbo, Sarkozy é portador de uma "importante iniciativa na perspectiva de um cessar-fogo".Manifestações de apoio à população de Gaza foram registradas em várias capitais européias e árabes. Além disso, dezenas de milhares de árabes israelenses foram às ruas no norte de Israel para protestar contra os ataques em Gaza.
Dia de ataques
Horas antes da invasão, Israel bombardeou Gaza por mar e ar, matando um alto comandante do Hamas. De sua parte, o Hamas manteve seus ataques com foguetes contra cidades do sul israelense, desafiando os apelos internacionais para que ponha fim a tais ações.
À medida que a ofensiva de Israel entrava em sua segunda semana, moradores desesperados de Gaza se abrigavam em suas casas e agências de ajuda humanitária e alertavam que os estoques de comida, água e suprimentos médicos estão acabando.
Pouco antes do anoitecer (a diferença para o horário de Brasília é de quatro horas), Israel deu início a um bombardeio contra Gaza. A ação provocou uma grande explosão na cidade de Gaza e também uma série de estrondos ao longo da fronteira, fazendo emergir uma névoa de fumaça e poeira que prejudicava a visibilidade.
Durante o dia, pelo menos 20 ataques aéreos israelenses atingiram Gaza e navios de guerra também dispararam contra a região, a partir do Mediterrâneo, disseram testemunhas.
Um dos ataques matou Abu Zakaria al-Jamal, um alto comandante do braço armado do Hamas, afirmou o grupo islâmico. Ele foi o segundo dirigente do Hamas morto em três dias. A maioria dos líderes do grupo está agora escondida para escapar das tentativas de assassinato por parte de Israel.
Reuters
Fumaça provocada por ataque israelense em Gaza neste sábado
Aviões de guerra de Israel atingiram também um colégio particular palestino chamado Escola Americana, matando um guarda. Os militares israelenses disseram que a escola era um esconderijo para os combatentes do Hamas e base de lançamento de foguetes.
Os alvos atingidos incluem a universidade islâmica, edifícios do governo, mesquitas e delegacias da polícia civil, que Israel dizem ser usados como base pelos militantes do Hamas.
Israel desencadeou a campanha no dia 27 de dezembro, para pôr fim aos ataques de foguetes do Hamas contra o sul israelense.
No entanto, os disparos prosseguiram. O Hamas lançou 14 foguetes contra Israel neste sábado, disseram os militares israelenses. Duas pessoas ficaram feridas por estilhaços quando um projétil atingiu um prédio na cidade portuária de Ashdod.

12 comentários:

Raniere Pontes disse...

Caro,
Eh um prazerzao encontrar seu blog e conhecer um pouco mais sobre vc, que ate entao so o conhecia da literatura "Ninguém é inocente em São Paulo".
Vou acompanhar aqui sua saga de escrever e denunciar esse mundo de relacoes e estruturas injustas.
Valeu por estar ai do outro lado!

Mentiroso disse...

Israel é um estado terrorista e já o era antes da sua fundação, semenando bombas por todo o lado. Quem tenha memória que se lembre.
Israel é um povo que devido ao seu procedimento criminoso e nazi não tem mais o direito de existir. Deveriam deitar-se-lhes em cima tantas bombas de napalm até que não restasse um só sionista vivo.
Para recapitular a história deste povo maldito que leva a guerra e o desentendimento desde milénios, veja-se aqui;
http://www.leaopelado.org/exodus.htm
aqui: http://mais-mentiras.blogspot.com/2008/12/os-novos-nazis.html
e aqui: http://leaopelado.blogspot.com/2007/03/terrorismo.html
Na página do primeiro link há links de grande importância para outros autores.

Sentimento de Fúria disse...

salve Ferrez...Israel a anos vem massacrando o povo palestino, seja diretamente com bombas e tiros ou indiretamente com seu bloqueio que impede o desenvolvimento daquela região.Coloquei no meu blog um relato de um jornalista que estava em Gaza no primeiro dia do bombardeio,se der dá uma olhada lá
www.sentimentodefuria.blogspot.com
abraço!

Robson Canto disse...

Eh Jão!
Aí 2009 é tudo nosso um da sul o sistema não aguenta!
Se tu for na delegacia liga nóis!

já é!

R. Canto

Spin disse...

Acontece que o governo da Palestina encobre e apóia o Hamas, bem como a maioria dos governantes do mundo árabe, o que invalida sua comparação de que invadir a Palestina é como invadir o Brasil por causa de alguma quadrilha.

"Os mísseis são fracos, dificilmente matam alguém" Ora, não é exatamente esse "jeitinho brasileiro" de lidar com as coisas (quando começarem a matar alguém a gente se preocupa) que nos levou onde estamos? Já ouviu falar em corrigir o mal pela raiz?Deveria israel esperar pela volta dos homens bomba para, aí sim, tomar alguma atitude?

Esses são alguns pontos que eu resolvi refutar, mas suas afirmações são tendenciosas e demagógicas (como acabei de demonstrar) e isso afeta sua credibilidade.

edugmg disse...

Criticar todo povo de Israel pela guerra é como criticar os brasileiros pela pobreza do pais, tanto em israel como aqui existem os Malufs, ACMs, Jader Barbalho, Quercias que lideram as patifarias que acontecem, do mesmo jeito nos EUA, nao podemos criticar o país inteiro pelo Bush, qualquer generalizaçao é preconceituosa, temos que analizar que tanto as lideranças israelenses quanto as arabes sao muito parecidas com as "nossas lideranças", como PMDB e DEM(antigo PFL).

WILSÃO NEGREDO E RENATO VITAL A CORRENTE FORTE DO GUETO disse...

Essa guerra que leva várias vítimas inocentes, deveria ser impedida por potências mundiais, e não incentivada pelo poder americano, que se diz em cima do muro. Guerra no oriente médio, também faz parte da nossa vida. Abraços Férrez.

Robson Canto disse...

Oração de um pé de chinelo (Em memória de Plínio Marcos).

Por: Robson Canto

Deus não me veja com maus olhos
Não quero dinheiro... É serio não quero essa merda!...
Desculpa o palavrão Senhor
Não quero mansões ou carrões
Um fusca já ajuda!
Um barraquinho também
Pão com ovo de manhã
Se for possível café com leite
Ou só o cafezinho preto
No almoço um picadinho, já me basta
A noite no jantar idem
Eu queria também poder escrever um texto por semana
Vender meus livros nas portas dos teatros
Andar de mãos dadas, com minha paixão sábado a tarde
Tomar umas cervejas com poetas
E beber pinga com os vagabundos
Escrever uns cinco poemas por ano
Mas um poema que as pessoas gostassem
Que os escritores fossem iluminados na hora em que tiverem escrevendo
E que nossa música fosse algo agradável
Me faça ter equilíbrio e inteligência
E que os amigos fossem amigos
Deus seja feito a tua vontade... E não a minha

Fael disse...

Olá ferrez, muito prazer conhecer seu blog também. conheço vc de suas músicas e dos seus escritos na Caros amigos. ainda não tive o prazer de ler um livro seu. aproveitando a temática sobre o massacre Israelense ao povo palestino, quero utilizar este espaço para fazer uma convocação a todos que moram no Rio de Janeiro ou estarão lá no dia 8 próximo, quinta-feira.

ATO PÚBLICO EM DEFESA DA PALESTINA, CONCENTRAÇÃO NA CINELÂNDIA A APARTIR DAS 15:00 H.

COMPAREÇAM.

Abraços a todos e continue firme Ferrez.

Guilhermé disse...

A quem interessar:

Quinta-feira (8)

- Rio de Janeiro
Manifestação de repúdio ao massacre do povo palestino
Horário: 17 horas
Local: Cinelândia
Convocam: entidades do movimento social e sindical e do Comitê de Solidariedade com o Povo Palestino-RJ

Sexta-feira (9)

- São Paulo
Manifestação em frente ao Consulado de Israel
Horário: 14h30
Local: Consulado de Israel
Endereço: Avenida Faria Lima, nº 1.766, 13º andar em Pinheiros
Convocam: (as mesmas da manifestação de domingo)

- Porto Alegre
Ato com Embaixador da Palestina e pelo fim dos ataques de Israel
Horário: 10 horas
Local: Semapi (Sindicato dos Empregados em Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas e de Fundações Estaduais do RS)
Endereço: Rua General Lima e Silva, 280 - Porto Alegre – RS
Convocam: entidades da Comunidade Árabe-Brasileiro, em conjunto com outras como o Cebrapaz-RS e demais organizações dos movimentos sociais

- Curitiba
A passeata de solidariedade a Palestina: uma gota de sangue pela paz
Horário: 11 horas
Local: Concentração na Praça Santos Andrade
Convocam: Comitê Árabe-Brasileiro, em conjunto com outras entidades como o Cebrapaz-PR

- Recife
Sapatada nos governos de Israel e dos EUA: pelo fim da invasão a Gaza
Horário: 16 horas
Local: Praça Oswaldo Cruz
Convocam: UNE, Ubes, Umes (União Metropolitana dos Estudantes Secundaristas ), UEP (União dos Estudantes de Pernambuco)

- Campinas
Ato de solidariedade a Palestina
Horário: 17 horas
Local: Largo da Catedral
Convocam: entidades do movimento social e partidos políticos

- Foz do Iguaçu
Passeata pelo fim do massacre ao povo palestino
Horário: 17 horas
Local: Concentração no início da Avenida Brasil
Convocam: Comunidade Árabe e entidades do movimento social

Domingo (11)

- São Paulo
Grande Marcha Contra o Massacre de Israel
Horário: 10 horas
Local: Concentração no Vão Livre do Masp, Avenida Paulista.
Convocam: CMS (Coordenação dos Movimentos Sociais); CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil); CUT; Conlutas; Intersindical; Afubesp (Associação dos Funcionários do Banespa); UNE; Ubes; Upes (União Paulista dos Estudantes Secundaristas); DCE da USP; UJS (União da Juventude Socialista); Juventude Revolução; Movimento pelo Passe Livre; MST; MLT (Movimento de Luta pela Terra); Conselho Mundial da Paz (CMP); Cebrapaz (Centro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz); Comitê de Solidariedade a Cuba; Mulheres em Luta pela Paz; PCdoB; PT; PSTU; Psol; PCB; Fepal (Federação Árabe Palestina do Brasil); Fearab (Federação das Entidades Árabes Brasileiras); Mopat (Movimento Palestina para Todos); União da Juventude Árabe para a América Latina (UJAAL); Instituto Jerusalém; Instituto da Comunidade Árabe; Centro Cultural Árabe-Sírio; Sociedade Palestina de SP; Instituto Futuro; União Nacional de Entidades Islâmicas (UNI); Federação das Entidades Árabes Muçulmanas do Brasil (Fambras); Sociedade Beneficente Muçulmana do Brasil (SBM); Associação Beneficente Islâmica do Brasil (ABIB); União dos Estudantes Muçulmanos do Brasil (Uemb); Sociedade Islâmica de Jundiaí; Sociedade Beneficente Muçulmana de Santo Amaro; Conselho Superior dos Teólogos Muçulmanos do Brasil; Igreja Ortodoxa Antioquina do Brasil; Igreja Presbiteriana; Deputado estadual Simão Pedro (PT-SP); Deputado estadual Said Mourad (PSC-SP); Vereador de São Paulo Jamil Murad (PCdoB); Portal Vermelho; CMI (Centro de Mídia Independente); Jornal Al Baian.

Ķ۝ӨŠM۞S ΡΩζιТдп disse...

Salve Ferrez e caros amigos
salve a net que nos deixa interligados.
muita força a todos e que vc continue seguindo essse caminho da crucificação que nos liberta.
os eleitos não vão conseguir padronizar a mentes de todos.
abrçaosssss

Ķ۝ӨŠM۞S ΡΩζιТдп disse...

http://rafaelfortes.wordpress.com/2008/12/31/para-ajudar-israel-vamos-dizer-nao-concordamos-com-sua-politica-por-ilana-polistchuck/