Blog do escritor Ferréz

Nós vamos mudar tudo por aqui.....

Revolução Visível, a olhos nús, sem meia conversa nem frase bonita (bom...frase bonita também, afinal somos poetas, escritores, rappers), de uns anos prá cá nós resolvemos mudar a cara da quebrada.
Perdemos várias trincheiras, mas também ganhamos muito, leia o que escrevo, mas acima de tudo veja o que fazemos. Feijoada Solidária em benefício da Biblioteca êxodus, porque vamos comprar mais uma casa ao lado da biblioteca para fazer um refeitório, ler de barriga vazia é osso.

Minha filha, Dana Ferréz, aprendendo a ser militante desde cedo.
a mesa cheia de artistas do gueto, Lelê do famoso samba do Lelê, e o escritor Almério Barbosa, autor do livro Justiça para a periferia.


Novos MC´s, novos poetas, novos escritores e novos cidadães.

A corrente forte do gueto, como diz o Renato, Negredo e a meninada da biblioteca.

Festa, muita festa, pra gente saber comemorar as vitórias do dia-a-dia da periferia e de quebra mandar a coca-cola pra escanteio de vez.


Esse bolo tá bom demais, feito pela nossa aluna, que com esse sorriso num precisa se falar mais nada.
Projeto periferia ativa continua na caminhada, esse ano ainda vem muito mais, Negredo e eu agradecemos que participou da feijoada, a doação do parceiro Santista que somou mais 10% d casa, e no geral conseguimos arrecadar mais de 15% da casa, além de abrir a festa pra comunidade,e o resto vem com o grande evento 100% favela em Setembro.
Nós estamos mudando tudo por aqui, e também sendo mudados a todo momento, é muito Axé pra quem tá na quebrada no dia-a-dia, no corpo-a-corpo contra o álcool, crime, e tudo de ruim.
Firmeza.
Ferréz





5 comentários:

Robson Canto disse...

MARCELINO FREIRE

Após a maravilhosa quarta-feira no sarau da Cooperifa. Estive ontem na livraria cultura com o Marcelino Freire (Que honra! Estar numa livraria com um escritor que eu considero um dos melhores do Brasil).
Combinávamos há dias para tomar um café, e ontem finalmente as coisas deram certo.
Conversamos sobre seu próximo livro “Rácife” que sairá em agosto (provavelmente dia 14). Também conversamos sobre a biblioteca “Luiz A Mendes”. E vamos ver um dia bom para ele ir lá.
O Marcelino apelidou a mega livraria de ”Carrefour”
E em agosto ira acontecer a Bienal do Livro de São Paulo e a novidade é que o Marcelino será o mediador de uma mesa onde estará, sabe quem?... Ferréz (acho que o Ferréz nem deve tá sabendo. Fiquei sabendo antes dele) Sérgio Vaz (o homem dos pensamentos vadios) e Paulo Lins (Cidade de Deus). Claro que estarei presente, não perco esse dia, mas nem se houver guerra no país.
Depois do café fomos dar uma volta no “Carrefour” e falamos sobre o escritor cubano Pedro Juan Gutierrez (Eu indico “O Ninho da Serpente” 100% erotismo).
Tive que ir embora por que estou arrumando a biblioteca para receber a equipe do Buzão Circular Periférico (Sejam bem vindos a Favela dos Pilões. Nem pior e nem melhor apenas diferente).

Marcelino sem palavras.

Preta disse...

Saudações Frrez.
Sempre estou lendo suas publicações, gostaria de saber onde fica esta casa tão linda, quero poder ajudar de alguma forma. Vc poderia postar o endereço.
Obrigada!
Sophia - Chácara Santana

Lenira Brisch disse...

Ferrez, adorei a postagem do trabalho realizado por vocês, periferia ativa.
Parabéns a todos pela realização, e principalmente a galera que frequenta e descobre o encantamneto da palavra escrita!!! Gostaria de ver mais fotos do espaço da biblioteca. Poderias trazer fotos qdo vires para Novo Hamburgo em agosto? Ou postá-las no blog para galera que curte teu trabalho visualizar?
Abraços

Maria Ester disse...

Férrez, parabéns pelo trabalho, maravilhoso. Emocionante ver o brilho no olho da criançada. Quando vires a Novo Hamburgo, por gentileza tragas bastante material alusivo ao teu trabalho para que possamos adquirir e subsidiar o nosso trabalho de sala de aula. Abraço fraterno, Ester.

William disse...

Apesar de eu não querer ir na Feira do Livro tava legal lá mas a parte mais tri foi na palestra.

Ferréz a palestra que tu feztava tri,a parte qur tu falo sobre o livro "Amanhecer Esmeralda"pelo jeito que tu falo o livro deve ser legal quando cheguei em casa pedi pra minha mãe comprar o livro,parte que eu mais gostei foi a parte que dançaram hip hop,parte da caixa e do surdo ainda bem que eu tava na lado da caixa,eu achei esselente ideia de colocar uma biblioteca onde era um ponto de drogas,a biblioteca exodus ensentivo muitas crianças a se enteresar pela literatura.

Novo Hambugo,escola Affonso Penna