Blog do escritor Ferréz

Texto inédito na Caros Amigos desse mês.

Salve literários das ruas de terra, esse mês tem um texto meu inédito na Caros Amigos, o conto chamado O.M.N.I (objeto matador não identificado). e pra quem tá querendo econimizar uns trocados, o site www.carosamigos.com.br colocou o texto na íntegra, mas eu recomendo comprar a revista que está impecável.
Ferréz

11 comentários:

yLSAO E RENATO VITAL A CORRENTE FORTE DO GUETO disse...

são mais de 10 anos depois do primeiro livro de poesia, e você Férrez tá num nível muito foda, um dia eu chego nessa literariedade. Parabéns Férrez, a ontem lá no Jardim Nakamura o Rappin hood vestiu o Boné da 1dasul e falou que agora ele fazia parte também. Valeu por representar tão bem nós mano, um abraço do Renato Vital.

Edinho disse...

Eae Ferrez a Paz.
A pouco acompanho seu trabalho,li alguns artigos, o livro:Amanhecer Esmeralda na biblioteca do SESC Pompéia.
É incrível já o vi algumas vezes passando pelo portal do meu bairro (Jardim Dom José, Santo Eduardo), acredito que estava rumo ao valo.
Mas o que mais me encuca a mente, onde andam nossos poetas, ou melhor porque não falamos deles, não bradamos em grata alegria uma voz, em meio ao mundo de surdos, cegos e mudos, e não falo de deficiência.

É a primeira vez, que posto em seu blog e, é com a grata satisfação que o faço para, parabenizá-lo pelo excelente conto: O.M.N.I.

E obrigado por vezes abrir-nos as feridas, que insistimos em fechá-la sem que esta esteja, devidamente curada.

Força e Paz

Edinho SJ
Embu-SP

Edinho disse...

Eae Ferrez a Paz.
A pouco acompanho seu trabalho,li alguns artigos, o livro:Amanhecer Esmeralda na biblioteca do SESC Pompéia.
É incrível já o vi algumas vezes passando pelo portal do meu bairro (Jardim Dom José, Santo Eduardo), acredito que estava rumo ao valo.
Mas o que mais me encuca a mente, onde andam nossos poetas, ou melhor porque não falamos deles, não bradamos em grata alegria uma voz, em meio ao mundo de surdos, cegos e mudos, e não falo de deficiência.

É a primeira vez, que posto em seu blog e, é com a grata satisfação que o faço para, parabenizá-lo pelo excelente conto: O.M.N.I.

E obrigado por vezes abrir-nos as feridas, que insistimos em fechá-la sem que esta esteja, devidamente curada.

Força e Paz

Edinho SJ
Embu-SP

Edinho disse...

Eae Ferrez a Paz.
A pouco acompanho seu trabalho,li alguns artigos, o livro:Amanhecer Esmeralda na biblioteca do SESC Pompéia.
É incrível já o vi algumas vezes passando pelo portal do meu bairro (Jardim Dom José, Santo Eduardo), acredito que estava rumo ao valo.
Mas o que mais me encuca a mente, onde andam nossos poetas, ou melhor porque não falamos deles, não bradamos em grata alegria uma voz, em meio ao mundo de surdos, cegos e mudos, e não falo de deficiência.

É a primeira vez, que posto em seu blog e, é com a grata satisfação que o faço para, parabenizá-lo pelo excelente conto: O.M.N.I.

E obrigado por vezes abrir-nos as feridas, que insistimos em fechá-la sem que esta esteja, devidamente curada.

Força e Paz

Edinho SJ
Embu-SP

JULIANA disse...

Caro Ferrez:
Li hoje a matéria de sua autoria - "assistindo e sendo humilhado", na Revista Caros Amigos - e é angustiante constatar essa realidade em que vivemos. Ainda mais lamentável é permitir que isso continue. Acredito que o primeiro passo já foi dado - o alerta de suas palavras - para que então a semente da indignação a favor da igualdade e do respeito sejam repensadas e que, mais adiante, cresça e se transforme na realidade que buscamos: a verdadeira soberania diplomática entre as diversas culturas e povos. Parabéns pela matéria.

Djalma Oliveira disse...

Regularmente, escrevo sobre coisas que me incomodam. Incoerências, injustiças, equívocos, leviandades... Coisas que mexem comigo e movem a pena, quase involuntariamente. Muitas vezes sou elogiado, mas quase sempre o elogio vem acompanhado de um conselho para "deixar de ser triste", quase uma acusação de "revanchista". Sentir a indignação, a revolta, e externá-la da única maneira que sei e que me resta, ou seja, através das letras no papel - diretamente ou sutilmente - como nesse belo conto, é praticamente uma catarse. O mundo "regular" está loteado e rotulado por uma elite, a qual deseja que tudo permaneça como está, inclusive esse bando armado de contenção da massa de excluídos do jogo. E, certamente, essa elite catalogaria seu artigo como pessimista e sombrio. Parabéns, belo texto! A saída é fazer "cair a máscara", sem hipocrisia. Educação, consciência e esclarecimento, inclusive para os componentes do O.M.N.I., que executam o "trabalho sujo", manipulados por uma cultura criada pela elite, que assiste a tudo lá de cima, desejando o extermínio entre iguais, permanecendo inantigível e não identificada.

Lucas disse...

Olá

Sou o lucas admin do site Mensagens PPT

meu site tem cerca de 1ooo visitas/dia, com um pagerank 4
e gostaria de fazer parceria com o seu site atravez da troca de links


Se aceitar o meu devera ser assim:

Mensagens PPT PPT - http://www.mensagensppt.com.br


Desde ja Agradeco

Lucas - Equipe Mensagens PPT

Cecílio disse...

Assim como o artigo da edição de fevereiro, "OMINI" é muito interessante. Quando li o título logo imaginei algo que rondasse a sua área intelectual: literatura marginal. Daí comecei a ler - logo comprovando o que imaginava - e a cada linha que se aproxima do final, o "conto" se revela um "não-conto". Mais intrigante ainda é a relação encaixada no texto com seres de outros planetas. Tratar o lado emocional do jovem do morro é uma jogada de mestre. A sociedade do asfalto, os almofadinhas não imaginam que do alto do morro exista cabeças pensantes, portadoras de imaginação, almas com sentimentos. E "OMINI" revela um tanto quanto disso. É lamentável quando o presidente da nação sobe no morro e diz que "Cidadão que é bandido não tem que ser tratado com pétala de rosa". Ou quando a "global" diz que "o difícil vai ser conter os bandidos durante as obras". Atentados terroristas a parte - terrorismo midiático aqui me refiro - o difícil, senhor presidente, será conter os ladrões engravatados que já articulam como será os desvios dessa verba toda. Tudo bem que a ROTA, senhor presidente, não tenha uma rosa para oferecer quando subir no morro, mas que pelo menos não destrua os jardins que lá existem.

Tim (welliton luiz) disse...

olhei o texto muito bom. grande abraço salve guerreiro

flak88 disse...

Referência:"voltei e estou armado","Caros Amigos" de abril.Texto incisivo, maravilhoso e do caralho.Pena que poucos vão ler.

Jucemir

Larissa disse...

FERREZ

Esta é a primeira visita que faço no seu blog, e o motivo dela é o texto da Caros Amigos, abril 08, VOLTEI E ESTOU ARMADO.

Eu já havia lido o texto O.M.N.I. na edição passada e me interessado pelo seu trabalho, mas o artigo deste mês está divino, eu nem li metade da revista, mas já valeu a edição.

Eu parei no metrô desnorteada por causa dele, e não tem como contar pra ninguém, tem que ler....tem que ler...DEVEM LER!!!

Obrigada.

Larissa