Blog do escritor Ferréz

O Imperialismo e o seu tênis

É engraçado, vejo muitos manos dizendo que não temos nada a ver com essa guerra, que temos nossa própria, certo, certo, vamos lá, temos nosso próprio inferno, temos nosso próprio sofrimento, e o das outras pessoas não interessa? Se quisermos revolucionar, podemos esquecer outras etnias? Podemos deixá-las entregues a sorte de um poder capitalista tão medíocre a ponto de contar dólares e esquecer de contar vidas humanas?
A resposta é não.
Devemos olhar, perceber, escutar, raciocinar e então julgar, nem sempre o super herói que vemos toma suas próprias decisões.
Os Estados Unidos acusam o Iraque de violar o acordo de Genebra, pois o Iraque mostrou prisioneiros de guerra ao vivo.
Só que 700 Iraquianos se entregando, sendo postos de joelhos, desfilando com bandeirinhas brancas a mando de soldados que lhe apontam armas que fazem parte do maior poder bélico da terra não é violação?
Jogar sete mil mísseis em Bagdá, mísseis vindo do auto, ditos armas inteligentes, pois saibam senhores de Roma, ops! Me desculpa, senhores americanos, não existem armas inteligentes, pois arma e inteligência não ficam na mesma frase.
Ditos palácios, mas na verdade casas periféricas de Bagdá.
Ditos soldados, mas na verdade cidadãos que não querem o império lhe dizendo o que fazer.
E a ditadura de Sadan?
Desde quando os Estados Romanos Unidos se preocupam com ditadura? Logo eles que patrocinaram a nossa, que ajudaram a matar nossos melhores alunos, que nos implantam um tal de FMI bem no meio das nádegas brasileiras.
A NBC, a Fox, a CNN, todas as emissoras com tom patriótico narram uma guerra que só existe para um lado, Guerra no Iraque é piada, devia ser Massacre no Iraque.
A Invasão, a Ocupação que nunca foi autorizada por ninguém, é chamado suavemente de Operação Liberdade do Iraque.
Só que ninguém fala que o Sadan alimenta 60% do seu povo com sextas básicas, e que essas pessoas não vão mais contar com esse alimento por causa de uma guerra por petróleo.
Sadan não é santo, e sim um assassino frio e com milhares de mortes nas costas, mas quem dirige uma nação hoje em dia que não é a mesma coisa? Os próprios americanos hoje estão envolvidos em mais de 40 guerras paralelas, desde Somália até fornecimento de armas para o exército Boliviano.
Temos tudo a ver com a guerra ao Iraque, somos minorias assim como eles, minorias perante o imenso Império de chapéu branco, vermelho e azul, agora nesse momento o Império invade pelo sul, pelo norte, pelo oeste, mostrando que faz o que quer.
O massacre ainda não começou de fato, que sabe um pouco a história do Vietnã viu no que deu, uma derrota humilhante para os norte americanos, o mais triste são os movimentos pacifistas, representados por todas as categorias, menos a nossa, até lá nos EUA todas as classes artísticas se movimentaram contra a guerra, e o Rap nada, é até bom, assim podemos começar de ajudar na guerra não comprando os cd´s dos Wu Tang clãs da vida, afinal as gravadoras estão ao lado das indústrias do fumo e das armas no ranking de maior faturamento.
Vamos valorizar a produção nacional, as gravadoras independentes, as marcas de roupas, as distribuidoras, e apostar no novo, a autogestão é um caminho para a nossa cultura, nós mesmos consumindo o que os nossos produzem, sem deixar o dinheiro na mão de pessoas como eles, que promovem a guerra, esse é o poder de indústrias como a Nike que ajudam a patrocinar os tanques para matar as crianças palestinas, iraquianas, indianas, moçambicanas, paraguaias, bolivianas e por ai em diante.
Esse texto foi feito a cerca de dois anos para a revista Rap Brasil, na época, Sadan ainda não tinha sido assassinado.
Hoje a situação do Iraque é muito pior, um pais ocupado, desestruturado e saqueado por centenas de empresas americanas.
Ferréz

3 comentários:

EDUARDO disse...

É FERREZ O DISCURSO É BONITO, EU TE ADMIRO CURTO MUITO O SUA CORRERIA E SEMPRE ACOMPANHO QUANDO POSSÍVEL, MAS NÃO CONCORDO COM MUITA COISA QUE ESTA NESTE TEXTO. SOU DE CURITIBA E NAO VEJO A RAP BRASIL FAZER MATÉRIAS DO HIP HOP DAKI QUE É MUITO FORTE NO MEU PONTO DE VISTA É A TERCEIRA CIDADE DO BRASIL NESTA ÁREA.
EU VEJO NAS RUAS VÁRIAS PIÁS E GÚRIAS COM PANOS DA XXL , PIXA IN , CONDUTA E OUTRAS MARCAS DE SP. QUE NÃO VEJO PATROCINAR NENHUMA GRUPO DAKI E MUITO MENOS ALGUM CAMPEONATO, EVENTO OU ACAO DE BENEFÍCIO PARA O POVO DO GUETO.
É FAZER FALAR,MAS FAZER É DIFICIL.
NÃO SEI PORQUE OS PAULISTAS ACHAM QUE A PARADA SÓ ACONTECE EM SAO PAULO. O BRASIL GRANDE E MERECIA UMA ATENCAO MAIOR.AGORA NAO VEJA A DIFERENCA EM USAR UM NIKE OU VENOM, NENHUMA ME AJUDA EM NADA, FAZ APENAS GASTAR O MEU DINHEIRO.

nego055 disse...

yo! mano, em novembro teremos a (feira preta_)la sim teremos marcas, grifes, brasileiras que nos representa 100% e isso ai, alias cada grupo de rap, devia ter sua grife, sem precisar desses gringos imorais, tamos juntos

Bruno disse...

É Ferréz, vc vem com esse papo hipócrita de que americano nao presta, é assassino, pra só comprar produtos nacionais e tal... Só que vc disse que acha justo um "mano" tomar um rolex dum cara que trabalhou pra compra-lo e ainda poupar-lhe a vida. Que que vc tem na cabeça? Vc acha que seu discurso ajuda em alguma coisa? Vc só está distanciando ainda mais as classes com esse papo comunista... Vc incita a violência, isso é crime. Acho que a conscientização das pessoas parte de uma outra ideologia, sem usar de idéias idiotas como vc usa... Estimular o ser humano para ele se desenvolver e criar as suas oportunidades sem precisar pegar numa arma é fundamental, mas parece que não é isso que vc defende.