Blog do escritor Ferréz

Assunto Sério

Salve Mulekes e Mulekas da hora.
bom, venho nessa para lhes dizer que o Sérgio Vaz (poeta, criador do sarau da Cooperifa e briguento) fez um texto sobre a Cooperia e o movimento de literatura da nossa quebrada em seu blog: www.colecionadordepedras.blogspot.com
a 1DASUL e a Literatura Marginal, assim como minha pessoa e todos que junto conosco fazem as influências periféricas não serem somente o crime ou a vida mediocre, apoiamos todas as suas palavras, como também nos colocamos a disposição para qualquer nescessidade de ação, seja ela intelectual ou braçal.
Afinal, depois de tantas incurssões em várias quebradas, como os saraus em escolas, debates em centros comunitários, poesias em shows de rap, realização de eventos dos mais diversos, sempre espalhando a palavra como fonte de sabedoria e senso critico, temos algo a zelar.
Como diz o Batista, tem centenas de orquestras de brancos por São Paulo, mas quando um negro monta a sua, ele é acusado de racismo.
Nos movimentos periféricos também acontece isso, tem tantos autores de vanguarda e nós sempre ficamos de fora, e agora que nos fortificamos e temos todo um cenário que criamos com muita determinação, vem alguém dizer que temos que mudar o nosso pensamento (ou seja matar ideologia).
Mas como alguém com o pé na realidade da periferia pode fechar os olhos? Evoluir sim, mas sem trair as raizes e as pessoas que estão conosco, eu sobrevivo hoje da minha arte, e garanto que digo 10 nãos para cada 1 trabalho que aceito, sou digno e durmo muito bem com isso, já me disseram que perco muito agindo assim, perco em papel moeda, mas ganho em ser o mesmo que para na barraca do alemão até hoje e como o churrasquinho rodeado de mano firmeza.
Os movimentos da quebrada tem muito que evoluir, mas nós da literatura estamos fazendo nossa parte, unidos como nunca aconteceu num cenário cultural.
Então, agente tem que lembrar alguns que tem que respeitar o prato que comem, pois já passei isso quando fiz a revista L.M e depois o livro, com autores que na hora de algum entrevista diziam que não eram literatura marginal, então porque estão no livro? porque aceitaram o pagamento? é! vai entender. agora a fita é essa mesmo, quer criticar? monta a sua própria parada, pelo menos tenha a decência de não usar nosso espaço.
em 1996 eu fazia saraus em várias quebradas, pedia e insistia muito para recitar nos famosos comícios, quando começava a poesia várias pessoas saiam pois não era show de pagode nem de rap.
Já fiquei tanto na beirada do palco que quando subi em um nem acreditei (inclusive trombei o Sérgio Vaz em várias desses eventos, ao contrário dos que criticam que nunca vi na batalha)
Já sai tantas noites e voltava com o mesmo peso, que até apaguei da minha mente as humilhações que a rua me deu.
Mas agora a base foi feita, as colunas levantadas, e estamos començando a fazer a construção.
Então, vai segurando, que além das usinas que procriam a litera-rua como Alessandro Buzo, Allan da Rosa, Ridson, Cooperifa, Edições Toró, Sarau do Binho, Biblioteca Êxodus, Akins, Márcio, Pezão, etc,etc e tal tá chegando muito mais.
e pra finalizar, uma vez o Ademir Assunção me disse que um cara uma vez lhe disse que seu livro era uma bosta.
o que ele respondeu? é...pode ser, mas então vai lá cagar a sua.
Ferréz
Irritado, mas consciente.

3 comentários:

Pseudo disse...

vc é um guerreiro.
Já foi fazer sarau no EMEF 22 de março? A mulecada ia gostar.

PENSAMENTOS VADIOS disse...

Ferréz,

carái, depois o ignorante sou eu?
sumemo: sorriso no rosto e os punhos cerrados.

abs.

sérgio vaz

mercuryo disse...

salve ferrez.so passei para deixar uma poesia que diz assim:lagimas e sonho...flores abandono...espelho e reflexo...dinheiro e ruina...realidade e ficçao...por mais que esteja com a vida destroçada,destinada ao mundo-brinquedo,continarei louco e confundindo a sabedoria das armas do sistema-nazista...