Blog do escritor Ferréz

Aniversário do Capão vira patifaria (de novo)

Salve rapa, quem lembra do texto que escrevi aqui ano passado sobre a festa de aniversário do Capão que foi uma patifaria só.
agora um dos organizadores também sofreu na pele, logo o cara que representa a comunidade foi boicotado também, segue o texto dele abaixo e fica provado que o poder público ou qualquer um dos seus representantes ainda nos tratam como puro gueto colonizado.
É com grande pesar que escrevo estas linhas.No último dia 28 de Abril,aconteceu a festa de aniversário de 95 anos do Capão Redondo,tudo estava caminhando bem até que o vereador,presidente da câmara municipal de São Pulo e vice-prefeito,Sr Antonio Carlos Rodrigues teve a péssima idéia de fazer um discurso eleitoreiro.
Como haviamos combinado com a organização,nenhum político convidado deveria fazer campanha eleitoral no palco,quero acreditar que o Sr. Antonio Carlos Rodrigues foi mal assessorado e acabou fazendo um discurso de campanha.
Não concordando com a atitude do vereador,peguei o microfone e reclamei,avisando ao vereador que a campanha eleitoral é só em 2008.O vereador não se pronunciou,mas seus assessores ficaram "revoltados" com meu discurso,o sr Daniel Jardim,acessor do vereador subiu ao palco em defesa do vereador,mais tarde,ainda não contente com o fato,um outro assessor do vereador entregou um bilhete para um músico que se apresentava pedindo para agradecer ao vereador pela festa que ele(o vereador) havia organizado.
Isso causou profunda revolta em todas as pessoas que ajudaram a organizar o evento,por saber que serviram de massa de manobra, por que o aniversário do Capão Redondo (o que ficou provado)não é e nunca foi uma festa para a população e sim um palanque para o vereador Antonio Carlos Rodrigues.
Ainda não acabou,quando subi ao palco para me apresentar com a minha banda (Tecora) e a percussão do Barracão dos Sonhos,me avisaram que o som seria desligado e ainda havia duas bandas pra tocar(banda Carraspana e Banda Preto Soul).
O Supervisor de Cultura resolveu por vontade própria acabar com a festa.Ano passado aconteceu fato semelhante ,na apresentação de grupos de rap( Ferréz e o Grupo Negredo),o supervisor de cultura mandava o técnico abaixar o volume do som,não queria que os rappers falassem mal da polícia.Parece que estas pessoas não conhecem a constituição,não sabem que cada um fala o que quer,mas que cada um é responsável por aquilo que fala.
Essa gente se acha acima do bem e do mal,tentando usar gente simples de periferia para implantar idéias e projetos que só interessam a si.
Mas uma coisa garantimos isso vai mudar por aqui,ano que vem o aniversário do Bairro terá outra cara.
Obrigado pela atenção.
Marcos Teles.

Um comentário:

krupskaia6 disse...

Para voces terem uma ideia de como as coisas acontecem, moro no Capao Redondo e nao fiquei sabendo do evento. rsrsrs
mas enfim, creio que esta desagradavel experiencia serviu para que voces nao cometam novamente o mesmo erro e nao confeim ou se apoiem em pessoas que so veem a periferia como lugar em que conseguirao possiveis eleitores que ignoram seus direitos como cidadaos.
infelismente nao podemos confiar em individuos que teoricamente deveriam representar nossos interesses. Basta observar quao abandonada e esquecida se encontram os bairros perifericos no qual falta tudo, ate vergonha na cara.
Nao somos vitimas dos politicos, somos omissos. Nao sabemos fazer valer nossos direitos, acreditamos no discurso de que o problema do brasileiro é nao saber votar.
De fato nao sabemos votar, porem nos faltam opções.
Creio que proximo a outubro, de quatro em quatro anos, todos nos que moramos em regioes carentes vemos os figuroes perguntando o que nossa comunidade precisa, fazendo promessas, pedindo pra colocar placa, mas depois de eleito, como encontrar o figurao para cobrar suas promessas?
Creio que uma comemoração com a que foi citada e da qual eu ignoro completamente a existencia deve ser feita pela propria comunidade. o que tem que ocorrer rapidamente é as pessoas se sentirem parte e responsaveis pelo que ocorre no bairro em que moram.
Talvez meus comentarios estejam vendo a situação de modo muito simplista pelo fato de nao conhece-lo plenamente, porem aproveito este espaço para indignaçao quanto aos politicos e nossa ( ou ao menos a minha) falta de participaçao para termos uma sociedade em que haja mais tolerancia e respeito.