Blog do escritor Ferréz

Vestido com as armas de Jorge (Ferréz)


Vestido com as armas de Jorge

Estilete com dois lados.
Assim é a roupa que separa.
Classifica e disfarça.
O respeito de pai não se herda.
Mas tomam o sangue do povo na taça.
E em todo proletário em guerra se tem uma ameaça.
Pois a fome não se cala.
Nos classificam, nos denominam, nos separam por raça.
Mas há os que não se abaixam.
Os pratas da casa que pregam a palavra pra conter a arma
- e com o intuito do guerrilheiro que usa a alma e a espada.
Há um detalhe que não passa: a farda.
Somos um lado da guerra.
E de predadores temos tudo.
A maldade, o sofrimento, as armas.
E a raiva da caça.

Um comentário:

laboratorio disse...

olá...
Ferréz meu caro
sou o Dicko de são luís/Maranhão
não sei se aqui é o melhor lugar, mas gostaria de ter um contato no qual eu possa ver a possibilidade de vc vir aqui em um evento q estamos produzindo para discutir sobre violência urbana, na Faculdade (FAMA) em que estudamos e na UFMA (universidade federal).
obrigado, e desculpe usar este local para tal assunto.
abraços.