Blog do escritor Ferréz

Itain Paulista, Capão Redondo, Parque Sto. Antônio





Isso mesmo, faz algumas semanas que a tríade se fez possivel, conversa gostosa e ideológica, falando da literatura marginal, dos problemas da periferia e das falsas Ongs, que engordam as contas bancárias de seus donos.
a vida é assim, desaviso puro, se não der para a Igreja outro pega.
mas em meio a tudo isso, a esperança brota todos os dias, como um ramo de Erva Santa Maria que insisti em nascer na beira da valeta de uma cidade cimentada.
Esta aí: eu e Tia Dag e o Buzo, cada um com um grande plano de mudança, e conversas como essas sempre são mais uma vela da revolução.
abraços
Ferréz

Agradecimento pela foto: Marilda (suburbano Convicto).

3 comentários:

will disse...

ai ferrez ja viu este documenta rio que o brow citou no dvd 100% favela ....WILSINHO GALILÉIA (1978)
Diretor: João Batista Andrade

Wilsinho Galiléia é mais um documentário fruto da boa safra do Globo Repórter. O filme foi produzido em 1978, mas logo foi interditado pela censura que então vigorava.

O documentário reconstitui a trajetória do marginal Wilson Paulino da Silva (o Wilsinho Galiléia que dá titulo ao filme), garoto que cresceu na favela Galiléia, uma das maiores de São Paulo. Wilsinho tinha 15 anos quando entrou para o crime. Em apenas três anos - o garoto morreu aos 18 - tinha 20 assassinatos e quase 500 assaltos na ficha criminal.

Motivos não faltavam para que o filme de João Batista Andrade fosse censurado, já que a tragédia do garoto marginal serviu para revelar as estruturas de exclusão da sociedade brasileira.

Na edição de 2002 do festival É Tudo Verdade, João Batista de Andrade teve o prazer de ter o merecido reconhecimento com a exibição de Wilsinho Galiléia. O público surpreendeu-se com os relatos dos familiares e pessoas que conheciam Wilsinho. Afinal, após 25 anos, nada é mais atual.

will disse...

WILSINHO GALILÉIA (1978)
Diretor: João Batista Andrade

Wilsinho Galiléia é mais um documentário fruto da boa safra do Globo Repórter. O filme foi produzido em 1978, mas logo foi interditado pela censura que então vigorava.

O documentário reconstitui a trajetória do marginal Wilson Paulino da Silva (o Wilsinho Galiléia que dá titulo ao filme), garoto que cresceu na favela Galiléia, uma das maiores de São Paulo. Wilsinho tinha 15 anos quando entrou para o crime. Em apenas três anos - o garoto morreu aos 18 - tinha 20 assassinatos e quase 500 assaltos na ficha criminal.

Motivos não faltavam para que o filme de João Batista Andrade fosse censurado, já que a tragédia do garoto marginal serviu para revelar as estruturas de exclusão da sociedade brasileira.

Na edição de 2002 do festival É Tudo Verdade, João Batista de Andrade teve o prazer de ter o merecido reconhecimento com a exibição de Wilsinho Galiléia. O público surpreendeu-se com os relatos dos familiares e pessoas que conheciam Wilsinho. Afinal, após 25 anos, nada é mais atual.

''é como o brow disse no dvd 100% favela nada mudou de la pra cá''....will

nilsonindiaci disse...

gostaria de assistir ao filme ,porque eu era desse tempo .morava em são joão climaco onde ele wilsinho praticava suas ações.