Blog do escritor Ferréz

Entrevista do Blog Suburbano Convicto.

salve, queria agradecer ao Buzo pelo Espaço que ele me destinou no seu blog, suburbanoconvicto.blogspot.com que é sem duvida hoje um referencial jornalistico do hip-hop, e vou reproduzir ela aqui com muito carinho.

EXCLUSIVA COM O ESCRITOR, RAPPER E ATIVISTA CULTURAL " FERRÉZ

. Alessandro Buzo, também escritor e um dos autores do recém lançado livro LITERATURA MARGINAL foi até o Capão Redondo e entrevistou o organizador da coletânea e autor de 4 livros.
Ferréz recebeu Buzo em sua casa em 12 de Agosto de 2005 e cedeu essa entrevista que você confere exclusivamente aqui no blog. Buzo:
Fale da coletânea LITERATURA MARGINAL que saiu essa semana nas livrarias ?
Ferréz: Literatura Marginal é a realização de um sonho në mano, eu se não tivesse dado certo com o Capão Pecado, queria estar participando de uma coletânea dessas. Então acho que é uma missão cumprida de trazer os talentos da escrita periférica.
Buzo: Fale do seu ultimo livro, AMANHECER ESMERALDA ?
Ferréz: O amanhecer é voltado para crianças, é assim, eu fico contente que logo que saiu ele vendeu 1.000 exemplares, então, ou tem 1.000 crianças que compraram ou tem 1.000 adultos que pensam ser crianças.
Buzo: Porque um livro infantil ?
Ferréz: Porque tem que trabalhar na base, seu filho por exemplo, ele não vai pegar o Capão Pecado, ele vai querer pegar livro para idade dele, a gente tem que fazer tudo, de roupas a livros de periferia.
Buzo: Comente sobre o anterior "MANUAL PRATICO DO ÓDIO" ?
Ferréz: Eu acho que o livro fala por ele próprio, um livro forte, vai ser feito um filme agora dele, e é bom que varias pessoas terão acesso a estas histórias, que aparentemente ficaram esquecidas.
Buzo: Fale sobre o lance do filme ?
Ferréz: Está terminando o roteiro e filme demora, produção, captar recursos, então demora mesmo, mais vai vir.
Buzo: Quem vai dirigir o filme ?
Ferréz: Antonio Pinto e Daniela Tomas.
Buzo: Como você imagina o Ferréz se não existisse literatura em sua vida ?
Ferréz: Balconista de padaria, não desmerecendo nenhum, mas estaria naquela vida até hoje. Não teria a satisfação de conhecer os lugares que conheci e as coisas que eu vivi.
Buzo: O CAPÃO PECADO e o MANUAL PRATICO DO ÓDIO estão sendo lançados no exterior, fale a respeito ?
Ferréz: Saio o CAPÃO PECADO em Portugal e agora vai sair o MANUAL, fora isso vai sair na Espanha e França, também os dois livros.
Buzo: Como vc vê isso de estar sendo lido na Europa, por pessoas que vivem outra realidade ? Ferréz: Eu acho que para mim quanto para os personagens que estão aqui dentro, é um coisa que não deixa nossa vida ser em vão. Então a gente não nasceu aqui e viveu, e a maioria até morreu de graça, isso não vai ser de graça, as pessoas vão ler e saber o que acontece com a gente. A elite ela perpetua suas histórias, cria símbolos como estatuas, brazões e assim ela está sempre de ponta de lança, o nosso povo në mano, praticamente não tem sido retratado, como a gente vai ter orgulho de algo que não acontece. Por isso a gente tem que fazer a história agora, a LITERATURA MARGINAL veio cumprir esse papel. Os caras nos deram a favela, um saco de ração e toda chance de ser preso, e mesmo assim a gente faz literatura, faz rap, faz cinema e a porra toda.
Buzo: Algum comentário sobre os autores que estão no livro LITERATURA MARGINAL ? Ferréz: Quem quiser ler a vanguarda da literatura real da periferia, está no LITERATURA MARGINAL, é a nata.
Buzo: Depois dessa etapa que foi o livro, a revista LITERATURA MARGINAL especial da CAROS AMIGOS não sai mais ?
Ferréz: Não, antes do livro já não ia sair, porque ficou muita divida para mim, por causa das vendagens, os meios de comunicação do rap também não falaram da revista, tem muito interesse pelo BUSINESS e pouco enteresse na cultura. O lançamento de uma biblioteca por exemplo tem que se fazer uma matéria e não uma NOTINHA.
Buzo: Você tem feito palestras em vários lugares e até em outros estados, o que aborda nelas ? Ferréz: A gente fala muito de literatura na periferia, de literatura de um modo geral e as perguntas que nos fazem fala muito de violência.
Buzo: Para quando vem seu próximo livro ?
Ferréz: Ano que vem sai o primeiro "não ficção" e em 2008 sai outro romance.
Buzo: O que trata esse novo livro em 2006 ? Ferréz: Não posso falar sobre ele agora, mas será diferente de tudo que já lancei.
Buzo: E no RAP, pensa em lançar outro CD ?
Ferréz: Penso sim, vai sair 2 CDs ano que vem, um meu e o outro uma coletânea da 1 DA SUL. Buzo: A 1 DA SUL tem loja no centro do Capão ?
Fale dela. Ferréz: É uma loja cultural também, que vende os livros e as roupas com temas do bairro. Muita gente está conhecendo a cultura hip hop através da loja, porque tem moleque que chega lá e nunca viu um vinil, ai quando vê pergunta: - O que é isso ? A gente vai e mostra, explica.
Buzo: Fale do seu blog ? Ferréz: O blog foi uma novidade e uma surpresa, porque não imaginava que tanta gente ia ler. E agora quando vou dar entrevista, quando encontro gente na rua, sempre comentam que leu um texto lá. E é bom que é de graça, é muito loko, eu achava que era coisa de boyzão e depois eu vi que realmente não é, muita gente lê. Eu coloquei um texto chamado "A BACTÉRIA" e o pessoal lê, manda email.
Buzo: Você se considera um revolucionário ?
Ferréz: Eu acho que essa palavra foi muito usada e mal tratada nesse tempo todo, se fala de uma revolução musical, revolução através das palavras, mas se você com seu trabalho, com a sua postura, com o exemplo de sua vida não mudar um pouquinho a vida de ninguém, então é tudo mentira. Revolução é diferente de mudança, uma mudança é simples, a revolução não, é mais complexa. Não é se adequar ao que está ai, é derrubar tudo e construir de novo, uma nova perspectiva.
Buzo: O Capão Redondo continua igual a época do Capão Pecado ?
Ferréz: Não, está no mínimo 10% pior.
Buzo: Porque você acha isso ?
Ferréz: Porque você vê, do Capão Pecado para o Manual Pratico do Ódio tem 3 anos de diferença e você vê a violência de um e de outro. Buzo comentou (- Pode crê, o outro era mais romentico.)......... Ferréz proseguiu depois: - O romantismo acabou, a vida bandida é sem gloria, é só luta por malote, nike 12 molas e moto da hora, enquanto a gente fica sonhando em esvaziar os bares e encher as escolas.
Buzo: Suas considerações finais ? Ferréz: O hip hop está passando por um momento difícil, ou a gente vai profissionalizar a coisa ou pouco vai restar.
BLOGS DO FERRÉZ www.ferrez.blogspot.com www.1dasul.blogspot.com LIVROS PUBLICADOS: Fortaleza da desilusão (poesias concretas) Capão Pecado (romance) Manual Pratico do Ódio (romance) Emanhecer Esmeralda (infantil) ORGANIZADOR de 3 edições especial da revista CAROS AMIGOS/ LITERATURA MARGINAL. O agora (agosto/05) organizador do livro LITERATURA MARGINAL (Editora AGIR - 136 paginas - preço médio R$ 29,90),

5 comentários:

Claudio Eugenio Luz disse...

Leio a 'Caros amigos' e acompanho os seus escritos. Moro em Santo andré e dou aula em Sapopemba, no jardim ângela. Minha esposa também leciona em Sapopemba e em São Mateus, trabalhando na educação de jovens e adultos. Não sei qual é a sua posição sobre o desarmamento, gostaria de saber, pois teremos o plebiscito.

hábraços

cardomiro disse...

oi ferrez. to te lendo. gostaria de ter seu email, pra trocarmos uma ideia. cardes@gmail.com valeu

Anônimo disse...

Oi Ferrez eu gostaria de obter o seu e-mail pois o tema LITERATURA MARGINAL é o tema pelo qual vou trabalhar no meu tcc.
Faço curso de letras na FASB(Faculdade São Bernardo).Obrigada atenciosamente Meire.

Paulinho Bomfim disse...

Quando lutamos por igualdade nos tornamos diferentes. Parabéns Ferrez pela insistência e coragem de continuar diferente daqueles que só conseguem ver coisas iguais em figurinhas repetidas.
Abraço!
Paulinho Bomfim

Camila. Amorim disse...

Esses dia na escola peguei o livro de |Ferrez\ Amanhacer esmeralda È muitoo bom..Agora devo faze uma redaçao critica do livro e contar um pouco mais sobre a vida do autor..
Um beijao ferrez e parabens pelo seu trabalhoo1