Blog do escritor Ferréz

novo Romance para 2008

Salve, estou colocando nesse momento um trecho do Romance que provavelmente vai estar pronto em 2008, mas porque tão longe? bom estou terminando o meu primeiro livro de não ficção que vai sair em 2006, e o livro do qual o trecho você vai ler daqui a pouco vai demorar um pouco mais para estar pronto, e isso se deve a própria história que traz um novo ritmo e estilo.
deem uma lida e pode ter certeza que a opinião de todos será bem aceita.
"Havia falado com o autor daquele livro algumas vezes, em alguns momentos de angustia chegava a discar os primeiros números, mas logo desistia, tinha noção de que não era seu amigo, de que não era nada dele, e sempre lia mais algumas páginas para se acalmar.
Labirinto, sempre teve medo dessa palavra, as palavras na sua idéia das coisas são perigosas, ainda mais uma que não demonstrasse saída, labirinto, era algo que realmente ele temia. Uma vez se pegou olhando para o espelho, encarando seus próprios olhos, notando seu próprio semblante, por uns segundos se perdeu em si, teve medo quando recobrou os sentidos, viu o perigo, quase ultrapassou a porta, acreditava nisso, na porta para o outro lado, e viu tantos que dessa não voltaram.
Notou o canto da estante nesse dia, tentou se apegar a alguma coisa para não olhar novamente para o portal que sempre o atraia, começou a perceber os discos, olhar calmamente para as fitas de vídeo, viu as coisas que todos colecionamos, tomou a decisão de não comprar mais tantas coisas, sentimentos que se transformavam em produtos, tempos passados que refletiam alguma desculpa de lembrança, resolveu parar de pensar.
Passou alguns segundos, tudo voltou ao normal, pegou a foto na estante, limpou a poeira, estava da mesma forma, os poucos cabelos rapados, o óculos, o ralo cavanhaque sempre torto, a camiseta azul já desbotada, olhou para si mesmo, a mesma roupa, levantou o braço esquerdo e tocou no queixo, o mesmo cavanhaque, passou a mão pela cabeça, os mesmo corte, a quanto tempo ele era ele mesmo já não sabia.
Pensou em sair, mas já andara demais, estava na hora de ficar em casa, só assim não seria a maquiagem da mulher vaidosa, o tanto de lápis, rouge, só elas sabem, não seria os transeuntes passando rapidamente, esbarrando, prometeu não sair tão desprotegido, afinal eles acham sempre que sabem algo quando o vêem, mas a profundidade do que ele mostra só ele controla.
No olho a olho os curiosos não passariam de três centímetros da primeira camada, o resto esta protegido, muito bem guardado, controlado como sempre deveria ter sido."

4 comentários:

Renata Ramos disse...

Descobri seu blog atraves da revista especial Hip Hop e quero lhe dar os parabens. Acompanho seu trabalho na Caros Amigos todo mes desde 2001, e sua coluna é a primeira que eu leio quando recebo a revista. Eu lhe falei isso em 2202, no final de sua oficina no Forum Social Mundial (fiquei na fila de autografos so para falar com voce). Ja li seus dois livros,os tres numeros da Literatura Marginal,so falta ouvir o CD. Seu trabalho e fantastico, e faltam mais pessoas como voce, que deem voz aos oprimidos. Sou professora de Historia do Ensino Fundamental em uma escola estadual de periferia, e sei como o rap faz parte do cotidiano destas pessoas e, por isso, estou querendo trabalhar o rap dentro da sala de aula, ja que meus alunos tem muito a dizer. Agora estou ansiosa para ler seus proximos livros. Parabens pelo seu trabalho mais uma vez. Ate logo! Renata (renatasramos@yahoo.com.br)

Junior Brown disse...

Aê, eu sei q eu pra vc ñ sou porra nenhuma, mas aê sou teu fã, te admiro muito, ainda ñ tive o prazer d desfrutar d suas obras, pois ñ tive acesso, mas isso é questão d tempo, tamo ai na correria, logo logo eu resolvo, mas aê, sempre to buscando coisas sobre vc na net, e aprendo muito com vc, e é isso, qualquer coisa, me manda um e-mail, fernandojuniorbrown@bol.com.br, demoro, paz, fui!!!

cassionei petry disse...

Fiquei sabendo agora que tu tens um blog. Bom, assim creio que a gente pode se comunicar seguidamente. Li teu primeiro livro, o qual me chamou bastante atenção, mas gosto mais da tua coluna na Caros Amigos, porque tu falas bastante sobre RAP. O meu blog é de literatura, mas estou pensando em colocar alguma coisa sobre RAP. Eu tinha um grupo aqui em Santa Cruz (RS), e fiz algumas letras, mas o grupo acabou se desfazendo. Como curo RAP desde 1990, penso em tentar um trampo solo, como Mano Cássio. Bom, espero que a gente converse mais, um abraço.

nietodelaquela disse...

Narras nesse trecho como Kafka, e isso me agradou companheiro de luta! Vejo em tuas palavras duas coisas: revolução e qualidade. Provas com isso que o literato da rebelião não é algo duro e sem graça que apenas denuncia (como se denunciar fosse pouca coisa!!!... burguesia essa que se diz elite intelectual, mas que eles se contentem em ser apenas elite economica porque intelectual somos nós!!! nós os que escrevemos na adversidade).
Bom já ia me perdendo, sois poeta e revolucionário, por isso me identifiquei contigo quando te vi uma vez na tv, e outra no saca rolha com o lobao.
Sigo os maestros contemporâneos que casam revolução, com poesia, com corajem!!!!

Obrigado Ferrez, criei um blog faz pouco e quero te incluir nele num link, se voce achar ruim pode falar que eu tiro.

Mas nos vemos ferrez

dario